Canadá necessita de imigração para preencher lacunas laborais

Canadá necessita de imigração para preencher lacunas laborais

 

Lusa/Ao online   Regional   11 de Nov de 2018, 11:08

 O ministro federal da Imigração, Cidadania e Refugiados do Canadá, Ahmed Hussen, disse este sábado à Lusa, que o seu país precisa de “mais trabalhadores estrangeiros para preencher as lacunas laborais do país".

"Precisamos de mais trabalhadores [estrangeiros] para preencher as lacunas laborais no Canadá, mas também com competências profissionais e talento", frisou Ahmed Hussen.

O ministro falava à Lusa à margem das comemorações do 33.º aniversário da Casa dos Açores do Ontário, que se assinalou no sábado.

O governante sublinhou ainda que a "economia canadiana depende entre vários fatores da imigração", que é "determinante para o crescimento das pequenas e médias empresas".

"Precisamos de mais trabalhadores enquanto vemos a população a envelhecer. Precisamos de alterar essas mudanças demográficas com a imigração", acrescentou.

Em 2021, o Canadá pretende autorizar 350 mil vistos para residência permanente no país, ou seja, mais 40 mil do que estava previsto.

"Estas 350 mil vagas para residentes permanentes destinam-se a candidatos fora de Canadá e alguns que já cá se encontram e que se possam candidatar", declarou.

Um dos problemas que afeta diversas comunidades étnicas no Canadá, nomeadamente a portuguesa, é a situação irregular de muitos trabalhadores que não conseguiram regularizar a sua situação.

Ahmed Hussen reconheceu o problema da "existência de trabalhadores indocumentados", que desesperam por ver resolvida a sua situação, existindo atualmente um "litígio", que o ministro se recusou a comentar.

Em maio de 2018, durante a visita oficial do primeiro-ministro português, António Costa, ao Canadá, o Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, e o ministro da Imigração do Canadá, Ahmed Hussen, assinaram um memorando de entendimento sobre o acordo de mobilidade juvenil.

O acordo bilateral pretende promover o intercâmbio entre os jovens dos dois países, com idades compreendidas entre os 18 e aos 35 anos.

Os jovens podem concorrer para estudar de uma forma facilitada, no entanto o acordo está limitado a dois mil candidatos de cada país anualmente.

Oficialmente há 429 mil portugueses e lusodescendentes no Canadá (censos 2011), mas calcula-se que existam cerca de 550 mil, estando a grande maioria localizada na província do Ontário. Estima-se que entre 60% a 70% sejam de origem açoriana.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.