Naufrágio da Rosa Mar

Cabo da embarcação prendeu no fundo


 

Lusa/AOonline   Nacional   7 de Dez de 2008, 10:28

O naufrágio do barco pesqueiro "Rosamar", na Costa da Galiza, foi provocado por um cabo da embarcação que se prendeu no fundo do mar e que funcionou como âncora, segundo a versão de quatro sobreviventes dada às autoridades espanholas.
 Os pescadores prestaram estas declarações na sexta-feira, na capitania marítima de Burela, às autoridades da Guarda Civil e da Polícia Judiciária de Espanha, informou hoje o jornal espanhol "El Ideal Gallego".

    Um cabo da aparelhagem do barco prendeu-se no fundo do mar, fazendo o papel de uma âncora, adiantaram.

    Nesse momento, o barco foi varrido por ondas de seis metros, entrando água pela popa, o que fez o pesqueiro virar e afundar-se "em um minuto", informaram fontes da investigação.

    O Serviço de Salvamento Marítimo resgatou sexta-feira cinco sobreviventes - quatro portugueses e um indonésio - e ainda os corpos de outros três portugueses.

    No sábado, os quatro pescadores (três portugueses e um indonésio) também prestaram declarações às autoridades, bem como o proprietário do barco, Jesús Lavayen.

    Os quatro portugueses sobreviventes do naufrágio são Sérgio Silva e Augusto Jesus, de Matosinhos, Adriano Almeida, de Gala, Figueira da Foz, e Luís Almeida, da Murtosa.

    Luís Almeida só teve alta do Complexo Hospitalar da Corunha no sábado, prestando suas declarações às autoridades espanholas somente neste dia.

    As operações de busca continuam hoje, depois de ter sido encontrado no mar um bote e um colete salva-vidas.

    Entre os cinco pescadores ainda desaparecidos, há um português.

    Os corpos dos três portugueses mortos foram disponibilizados pelas autoridades espanholas no sábado à noite, realizando-se a respectiva trasladação para Portugal.

    As vítimas mortais são José Graça e Silva, de Caxinas, Vila do Conde, José Manuel Tomé, da Gala, Figueira da Foz, e o mestre da embarcação, Mário Nazareno, de Matosinhos.

    Os funerais decorrem na segunda-feira em Vila do Conde, Figueira da Foz e em Matosinhos, segundo o presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos, António Parada.

    O barco de pesca "Rosamar", registada em Leixões e propriedade de um armador espanhol, naufragou sexta-feira a 24 milhas a norte de Burela, na costa da Galiza, com oito portugueses e cinco indonésios a bordo.

    A tripulação da embarcação era composta por treze pescadores, oito portugueses e cinco indonésios.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.