Furacão Ike

Bush declara estado de emergência no Texas

Bush declara estado de emergência no Texas

 

Lusa/AO online   Internacional   10 de Set de 2008, 22:06

O estado de emergência foi declarado hoje no Texas (Sul dos Estados Unidos) e numa região do México ameaçados pelo furacão Ike que entretanto se reforçou ao aproximar-se das costas norte-americanas e ameaça tornar-se num "poderoso furacão"
Depois de ter semeado a desolação na ilha de Cuba e causado dezenas de mortos no Haiti, o Ike reforçou-se e foi classificado na categoria 2 na escala de cinco de Saffir-Simpson, anunciou o Centro Nacional de Furacões, com sede em Miami (Florida, sudeste).
Deverá atingir as costas do Texas sábado, havendo o risco de se tornar um "poderoso furacão". Os seus ventos intensificaram-se e sopram agora a 155 km/h, contra 130 km/h do início do dia.
Face a esta ameaça, o presidente norte-americano, George W. Bush, declarou o estado de emergência no Texas, segundo a Casa Branca, e as autoridades ordenaram as primeiras evacuações da população.
A Fema, o organismo federal de gestão das situações de crise, assegurou que os poderes federais vão "apoiar estas evacuações a fim de garantir que todos fiquem em segurança".
O estado de alerta foi também decretado no Estado de Tamaulipas, no nordeste do México, limítrofe dos Estados Unidos.
Depois de ter fustigado, sem fazer vítimas, as Bahamas com a força de um furacão de categoria 4, Ike regredira para a categoria 3 ao atingir segunda-feira o leste de Cuba e para a categoria 1 à sua passagem, terça-feira, pelo ocidente do país, apenas dez dias depois do furacão Gustav.
O Ike causou a morte de cinco pessoas em Cuba, as primeiras vítimas do furacão na ilha comunista desde o Dennis em 2005, que causaram 16 mortos.
O Ike é também responsável por dezenas de mortos no Haiti.
No Golfo do México, onde se concentra um quarto da produção de petróleo norte-americana (1,3 milhões de barris de crude por dia), o grupo petrolífero anglo-holandês Shell retirou por precaução 150 funcionários das plataformas no mar e preparava-se para fazer o mesmo com os restantes 500 trabalhadores. 
Outras companhias, como a britânica BP ou a francesa Total, admitiram seguir o exemplo da Shell nesta região petrolífera onde a produção ainda não se recompôs da passagem do furacão Gustav.
No Haiti, 111 corpos foram encontrados desde segunda-feira na cidade de Gonaives, destruída e inundada pela passagem sucessiva dos furacões Hanna e Ike, segundo um novo balanço da segurança civil haitiana.
Neste país muito pobre, centenas de pessoas morreram à passagem em três semanas de quatro grandes depressões, Fay, Gustav, Hanna e depois Ike.
As Nações Unidas procuram reunir 107 milhões de dólares para o Haiti, anunciou hoje no México, o sub-secretário para os Assuntos Humanitários da ONU, John Holmes.
A ONU avalia em 800.000 o número de haitianos que necessitam de uma ajuda humanitária de emergência.
A organização mundial preparou também três milhões de dólares de ajuda para Cuba, acrescentou Holmes, "embora seja muito cedo para avaliar os prejuízos " na ilha depois da passagem do furacão Ike.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.