Biólogos dos Açores pedem ajuda ao Governo Regional para fazer face à redução das bolsas

Biólogos dos Açores pedem ajuda ao Governo Regional para fazer face à redução das bolsas

 

Lusa/AO Online   Regional   18 de Dez de 2013, 05:28

O presidente do conselho regional dos Açores da Ordem dos Biólogos pediu hoje uma "almofada ao Governo Regional dos Açores" para fazer face à redução das bolsas apoiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

"O número de bolsas de doutoramento e pós doutoramento que vão ser apoiadas pela FCT vai reduzir drasticamente, segundo fonte confirmada, e há que aqui nos Açores tentar criar uma almofada para fazer frente a todas estas notícias que nos chegam do Continente", afirmou Sérgio Ávila.

Segundo o representante dos Biólogos na Região, as medidas do Governo da República vão afetar "no imediato de cinco a dez investigadores” a nível regional.

"Estrategicamente o Governo tem de decidir de uma vez por todas se a ciência é ou não importante para a Região Autónoma dos Açores, se acharem que a ciência não é importante os investigadores irão emigrar mas se resolverem que é importante o discurso político tem de ser consequente com a prática política. Tem de haver um envelope financeiro adequado porque a ciência necessita de fundos", frisou.

Sérgio Ávila sublinhou a necessidade do Governo Regional dos Açores para dar estabilidade aos investigadores que têm "entre 15 a 20 anos de experiência" e que se vêm agora sem os seus contratos renovados.

"Temos autonomia e se temos autonomia o desafio que eu fazia ao Governo Regional era que a usasse sabiamente. Eu chamo a atenção do governo para a situação terrível e dramática que está neste momento a suceder por imposição nacional dos investigadores de carreira que existem nos Açores abrindo rapidamente concursos que permitam dar condições dignas a estas pessoas", relembrou o investigador sugerindo a utilização de fundos comunitários para fazer face a este problema.

A Ordem dos Biólogos convocou por isso uma reunião para esta tarde com docentes e investigadores como biólogos, geólogos, historiadores, sociólogos entre outros para debater esta questão e já pediu reuniões com o Governo Regional dos Açores, nomeadamente com o secretário regional da Ciência, Educação e Cultura e com o presidente Vasco Cordeiro.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.