Alpinismo

Bandeira dos Açores desfraldada no Kilimanjaro, o ponto mais alto de África


 

Lusa/AO online   Regional   28 de Nov de 2009, 23:09

A bandeira dos Açores foi desfraldada no cimo do Kilimanjaro, na Tânzania, o ponto mais alto de África, a 5895 metros de altitude, cumprindo o segundo objectivo do projecto “Açores no Topo do Mundo”.

“Conquistamos o Kilimanjaro”, anunciou o alpinista açoriano Luís Bettencourt, numa mensagem de telemóvel enviada à Agência Lusa a partir do cimo da maior montanha africana. Luís Bettencourt lançou o projecto ‘Açores no Topo do Mundo’ com o objectivo de desfraldar a bandeira dos Açores nos picos mais altos de cada continente. A iniciativa arrancou a 09 de Setembro com a subida ao ponto mais alto de Portugal, a 2351 metros de altitude, na ilha açoriana do Pico. Em Janeiro de 2010 está prevista a subida ao Monte Kosciuszko, com 2208 metros, que é o pico mais alto da Austrália, e, um mês depois, a escalada até ao cume do Monte Vinson, o ponto mais alto da Antárctica, com 4892 metros de altitude. Depois de ultrapassado este objectivo, Luís Bettencourt pretende subir, em Junho de 2010, ao cimo do Monte Elbrus, a montanha mais alta da Europa, com 5642 metros, na parte ocidental da cordilheira do Cáucaso, onde, segundo a mitologia grega, Prometeus esteve preso. Em Setembro de 2010 será a vez de subir ao Monte McKinley, no Alasca, com 6187 metros, que é a montanha mais alta da América do Norte, seguindo-se, em Janeiro de 2011, o Aconcágua, nos Andes Argentinos, com 6962 metros, o ponto mais alto das Américas e do Hemisfério Sul, além de ser o pico mais elevado fora da Ásia. Para Maio de 2011 está marcada a subida ao Evereste, a montanha mais alta do mundo, nos Himalaias, com 8844 metros de altitude, onde o português João Garcia chegou a 18 de Maio de 1999. O projecto terminará em Junho de 2011, novamente com a subida ao Pico, nos Açores, fechando o ciclo de ascensões aos pontos mais altos de cada continente para hastear a bandeira dos Açores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.