Banca

Bancos espanhóis lucram mais até Agosto apesar da crise


 

Lusa / AO online   Economia   19 de Out de 2009, 15:34

Os lucros dos bancos espanhóis subiram 3,3 por cento até Agosto, para 7,6 mil milhões de euros, apesar da crise que fez disparar o desemprego, congelou o mercado imobiliário e fez cair para mínimos os níveis de consumo.
Já as caixas de aforro espanholas não acompanharam o ritmo dos bancos e o seu resultado líquido sofreu uma queda homóloga de 32,7 por cento, para 3,4 mil milhões de euros, de acordo com os dados divulgados pelo Banco de Espanha.

O crescimento dos lucros dos bancos que actuam no mercado espanhol para o segundo valor mais alto de sempre, num ano profundamente marcado pela crise, tem por base o aumento da margem de juros, de acordo com o 'site' financeiro espanhol Invertia, que explicou que as entidades financeiras passaram primeiro a queda das taxas de juro para o passivo (depósitos) do que para o activo (créditos), pelo que, mesmo com um menor volume de negócios, as margens são muito superiores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.