Banco de Islândia aumenta taxa directora para 18%


 

Lusa/AOonline   Economia   28 de Out de 2008, 11:28

O Banco Central de Islândia anunciou o aumento da sua principal taxa directora em seis pontos percentuais para 18 por cento, para enfrentar a crise, o que faz desta taxa de referência a maior da Europa.
Atingida pela crise financeira que aniquilou o seu sistema bancário, a Islândia viu a sua divisa, a coroa, cair cerca de 40 por cento desde o início do ano, o que encarece significativamente o custo das suas importações.

    Em Outubro, a inflação na ilha acelerou ainda mais para atingir a taxa recorde de 15,9 por cento face a igual mês do ano anterior, após 14 por cento em Setembro.

    Esta inflação galopante ameaça privar os 320.000 islandeses dos bens de consumo corrente, na maior parte importados.

    O anúncio do Sedlabanki surge menos de duas semanas depois de uma decisão pelo mesmo banco central de cortar a sua taxa de referência de 3,5 pontos para 12 por cento para reanimar a economia.

    Incapaz de honrar sozinho as dívidas consideráveis dos três bancos que nacionalizou, o governo islandês solicitou a ajuda internacional do FMI, do BCE, da Reserva Federal americana (FED) e dos bancos centrais dos outros países nórdicos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.