Avaliação das casas pela banca aumenta 0,5% em outubro face a setembro

Avaliação das casas pela banca aumenta 0,5% em outubro face a setembro

 

Lusa/AO online   Economia   26 de Nov de 2013, 11:12

O valor médio de avaliação bancária aumentou 0,5% em outubro face a setembro e recuou 0,7% em termos homólogos, fixando-se nos 1.019 euros por metro quadrado (m2), divulgou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Segundo o INE, as Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto tiveram valores médios de avaliação bancária (realizada no âmbito da concessão de crédito à habitação) de 1.229 euros/m2 e de 928 euros/m2, o que corresponde a variações em cadeia de 0,4% e de -0,1%, respetivamente.

Uma vez que os resultados das áreas metropolitanas refletem as reorganizações administrativas em vigor desde as eleições autárquicas de 29 de setembro, não é possível fazer comparações homólogas.

Face a setembro, a maioria das regiões NUTS II registou acréscimos do valor médio de avaliação: O Algarve (1.298 euros/m2) e Lisboa (1.229 euros/m2) destacaram-se pela maior influência no aumento para o total do país, ao apresentarem variações de 4,7% e 0,4%, respetivamente.

Em comparação com o mês de outubro do ano passado, o valor médio de avaliação no total do país registou uma descida de 0,7%, quando no mês anterior esta variação tinha sido -1,5%.

De acordo com o INE, as diminuições mais significativas ocorreram na região Norte (-3,0%) e na Madeira (-8,3%).

Numa análise por tipologia de habitação, observa-se que, em outubro, o valor médio de avaliação bancária dos apartamentos aumentou 0,6% face ao mês anterior, fixando-se em 1.060 euros/m2.

Nos apartamentos, destacam-se os acréscimos registados na região do Algarve (66 euros/m2) e no Centro (11 euros/m2), para valores médios de avaliação de 1.306 euros/m2 e 883 euros/m2, respetivamente.

Face ao período homólogo, o valor médio de avaliação dos apartamentos aumentou 0,2%, refletindo as variações positivas de grande parte das regiões NUTS II, com destaque para Lisboa e o Algarve (com taxas de variação de 1,7% e 2,0%, respetivamente).

As tipologias de apartamentos T2 e T3 registaram valores médios de avaliação para o total do País, respetivamente, de 1.056 euros/m2 e 991 euros/m2, -0,3% e +0,3% do que o mês anterior.

Nas moradias, o valor médio de avaliação bancária das moradias para o total do país fixou-se em 950 euros/m2 em outubro, traduzindo um aumento de 2 euros/m2 face a setembro.

Os Açores (1.003 euros/m2), Lisboa e o Algarve (ambas com valor médio de avaliação de 1.273 euros/m2) registaram variações em cadeia positivas de 4,7%, 1,0% e de 2,4%, pela mesma ordem, enquanto o valor médio de avaliação nas restantes regiões diminuiu.

Em termos homólogos, o valor médio de avaliação das moradias diminuiu 2,1% em outubro, em resultado das diminuições homólogas registadas em seis das sete regiões.

A maior quebra registou-se na Madeira (-9,6%), mas a diminuição na região Norte (-3,4%) foi a que mais influenciou a variação total, tendo os Açores registado a única variação homóloga positiva (13,8%).

As moradias de tipologia T3 e T4 registaram, para o total do país, valores médios de avaliação de 911 euros/m2 e de 952 euros/m2, que comparam com os 916 euros/m2 e 948 euros/m2 de setembro.

Numa análise por regiões NUTS III, e por comparação com setembro e face à média do país, o índice do valor médio de avaliação bancária de habitação aumentou em 13 das 30 regiões analisadas, tendo a região do Pinhal Interior Sul registado o aumento mais acentuado (10,1%).

Já a região de Alto Trás-os-Montes apresentou o maior decréscimo, de 5,9%.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.