Segurança Alimentar

Autoridade Europeia contesta alegados benefícios de alguns produtos


 

Lusa/AO online   Internacional   22 de Ago de 2008, 11:18

A Autoridade Europeia de Segurança Alimentar contestou as informações publicadas pelos diferentes produtores de alimentos, nomeadamente os alegados benefícios dos produtos lácteos para os dentes das crianças.
"Uma relação causa/efeito entre o consumo de leite ou de queijo e a boa saúde dentária das crianças ou um peso corporal saudável de crianças e adolescentes, não está estabelecida", indica a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar num comunicado publicado na sua página na Internet.

    A Autoridade Europeia de Segurança Alimentar, que se pronunciou sobre a questão a pedido das autoridades irlandesas, lamentou que os estudos relativos à influência do leite e dos produtos lácteos nas crianças em relação aos quais deveria dar o seu parecer "incluíssem apenas duas pequenas amostras (53 e 92 pessoas) e compreendessem um intervalo de idades limitado (2 aos 14 anos).

    A Autoridade Europeia de Segurança Alimentar, que está sediada em Parma, no Norte de Itália, tornou públicos os seus oito primeiros pareceres preliminares sobre 288 produtos, cujas informações deverão passar pelo seu exame.

    O organismo pronunciou-se igualmente sobre produtos específicos destinados a reforçar o sistema imunitário das crianças, melhorar a densidade óssea das mulheres na menopausa ou emagrecer.

    Sem dizer que as informações fornecidas pelos diferentes produtores são falsas, a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar refere na sua página da Internet que se trata de "afirmações que não puderam ser verificadas", que o consumo do produto não traz "consequências significativas" ou que "as consequências [positivas] não puderam ser demonstradas".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.