Arquitetura portuguesa mostra-se durante três dias na X Bienal de São Paulo

Arquitetura portuguesa mostra-se durante três dias na X Bienal de São Paulo

 

Lusa/Ao online   Nacional   26 de Out de 2013, 10:49

A arquitetura portuguesa vai estar em foco durante três dias, na X Bienal de Arquitetura de São Paulo, através de um programa de debates e palestras que começa na segunda-feira, no Museu da Casa Brasileira, com curadoria da Estratégia Urbana.

 De acordo com a programação, a abertura está marcada para as 14:00, seguindo-se uma apresentação de escritórios de arquitetura do Brasil e de Portugal, contando-se entre eles os arquitetos Carlos Prata, Martim Corullon, Nuno Valentim e Nuno Griff.

Seguem-se vários debates e, às 19:00, está prevista a cerimónia oficial de entrega à cidade de São Paulo do Projeto Pavilhão Estratégia Urbana, criado pelos arquitetos portugueses Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto de Moura, ambos premiados com o Pritzker.

O pavilhão temporário tinha sido inicialmente projetado para ser construído no Parque Ibirapuera, para acolher as atividades daquele projeto de internacionalização da arquitetura portuguesa durante a Bienal.

Em setembro, o presidente da Estratégia Urbana, Nuno Sampaio, tinha revelado à agência Lusa que não tinham sido conseguidos apoios para a construção, e decidiram oferecê-lo à cidade para futura concretização do projeto.

Como o Pavilhão Estratégia Urbana acabou por não ser construído, a programação será apresentada no Museu da Casa Brasileira.

Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto de Moura - os dois únicos arquitetos portugueses galardoados até hoje com um Pritzker, o prémio mais importante para a arquitetura mundial – foram convidados por Nuno Sampaio a desenhar o pavilhão, a par do engenheiro Rui Furtado.

O custo do projeto foi patrocinado pela empresa portuguesa Mota-Engil, e a Estratégia Urbana procurou apoios para a construção - orçamentada em 250 mil euros - mas sem êxito.

A programação intitula-se "Arquitetura Portuguesa - Discrição é a nova visibilidade" e tem por objetivo a internacionalização de Portugal através, entre outras iniciativas, de uma exposição audiovisual com uma seleção das 100 obras e sete projetos portugueses de referência, dos últimos vinte anos.

A curadoria deste projeto da Estratégia Urbana é também assinada por Miguel Judas, Luís T. Pereira e Fernando Serapião.

Na quarta-feira, último dia do programa, está previsto um debate intitulado "Encontro da Profissão", às 10:00 e, às 19:30, tem início a palestra de encerramento, com o arquiteto João Luís Carrilho da Graça.

A programação da Estratégia Urbana insere-se no âmbito do Ano de Portugal no Brasil e do Ano da Arquitetura, promovido pela Secretaria e Estado da Cultura, que apoia este projeto, na sequência de uma candidatura ao Fundo de Fomento Cultural.

Com curadoria de Guilherme Wisnik, Ana Luiza Nobre e Lígia Nobre, a X Bienal de São Paulo não irá ter representações nacionais, mas convidou alguns arquitetos e especialistas ligados ao urbanismo a apresentarem os seus trabalhos, práticas e propostas.

A X Bienal de Arquitetura de São Paulo, inaugurada a 12 de outubro, decorre até 01 de dezembro, com exposições, instalações, seminários e uma mostra de cinema, em nove espaços culturais da cidade, sob o tema “Cidade: Modos de Fazer, Modos de Usar", orientado para o debate sobre a mobilidade, escalas urbanas e apropriação da construção pelos habitantes.

Com organização geral da responsabilidade do Instituto de Arquitetos do Brasil, a X Bienal vai centrar-se, sobretudo, no Centro Cultural São Paulo, mas também vai apresentar trabalhos, práticas e propostas noutros espaços, como o Museu de Arte de São Paulo (MASP).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.