Aprovado apoio extraordinário à alimentação animal nas Flores e do Corvo

Aprovado apoio extraordinário à alimentação animal nas Flores e do Corvo

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Out de 2019, 10:48

O Governo dos Açores vai conceder um apoio extraordinário para a alimentação animal nas ilhas das Flores e do Corvo para mitigar os prejuízos causados pela passagem do furacão “Lorenzo”, no início deste mês.

Uma portaria publicada, esta segunda-feira, em Jornal Oficial determina a concessão de um apoio de 7,5 cêntimos por quilograma, até ao montante máximo de 100 toneladas de concentrado fibroso e 100 toneladas de palha e feno na forma prensada.

"Este apoio extraordinário do Governo dos Açores justifica-se pelo facto de a passagem do furacão ‘Lorenzo’ ter prejudicado a produção agrícola e diminuído substancialmente a quantidade de pastagem disponível, destinada às necessidades normais de alimentação dos efetivos pecuários nas Flores e no Corvo", salienta uma nota do executivo açoriano.

De acordo com a Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, podem beneficiar deste apoio "as organizações de produtores que importam este tipo de alimentos e que procedam à sua disponibilização aos produtores agropecuários destas duas ilhas do grupo Ocidental do arquipélago".

A portaria define ainda que o agricultor, aquando da aquisição dos alimentos, deverá apresentar um comprovativo do seu efetivo pecuário, de modo a que as organizações de produtores forneçam apenas a quantidade necessária para a alimentação desse efetivo durante o período de um mês.

"Tanto as organizações de produtores como os agricultores ficam sujeitos a procedimentos de controlo e fiscalização", acrescenta a nota.

O Governo Regional, que "monitorizou e registou os impactos do furacão nas explorações agrícolas, pretende com este apoio colmatar as necessidades normais de alimentação dos efetivos pecuários", explica a secretaria regional.

Durante a passagem do "Lorenzo" pelos Açores, em 02 de outubro, foram registadas 255 ocorrências e 53 pessoas tiveram de ser realojadas.

A passagem do furacão causou a destruição total do porto das Lajes das Flores, o que colocou em risco o abastecimento ao grupo ocidental

No total, o mau tempo provocou prejuízos de cerca de 330 milhões de euros, segundo o Governo Regional.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.