Crescimento europeu

Almunia adverte que novas previsões não serão muito boas


 

Lusa/AO online   Economia   9 de Set de 2008, 11:46

O comissário europeu para os Assuntos Económicos e Monetários, Joaquin Almunia, advertiu que as novas previsões de crescimento para a UE a publicar quarta-feira não serão muito boas e confirmarão a tendência de nítido abrandamento.
A actividade "na Zona Euro contraiu-se 0,2 por cento no segundo trimestre, e face às últimas previsões publicadas pela OCDE e pelo BCE, as perspectivas para o segundo semestre de 2008 e início de 2009 não são muito boas", declarou num discurso pronunciado em Frankfurt cujo texto foi divulgado pelos seus serviços em Bruxelas.

    "Amanhã [quarta-feira], apresentarei as nossas previsões actualizadas para este ano e, infelizmente, não espero transmitir uma mensagem diferente" da do BCE e da OCDE.

    A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económicos reviu nitidamente em baixa o seu prognóstico de crescimento este ano na Zona Euro, de 1,7 para 1,3 por cento. O Banco Central Europeu (BCE), por seu lado, baixou-o de 1,8 para 1,4 por cento, esperando somente 1,2 por cento para 2009.

    Almunia não adiantou números. Mas o presidente do Eurogrupo, o luxemburguês Jean-Claude Juncker, indicou recentemente que o prognóstico da Comissão deverá ficar entre 1 e 1,3 por cento para este ano, contra uma subida de 1,8 por cento esperada nas últimas previsões publicadas em Abril.

    "Vai situar-se entre 1 e 1,2 ou 1,3 por cento, um abrandamento nítido portanto, mesmo que não haja recessão ma zona euro", disse Juncker.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.