Açoriano Oriental
Açores/Eleições
Aliança assume inclusão, educação e saúde como prioridades

O líder do Aliança/Açores e candidato às eleições legislativas regionais de 25 de outubro, Paulo Silva, elegeu a inclusão, a educação e a saúde como áreas prioritárias para o partido.

Aliança assume inclusão, educação e saúde como prioridades

Autor: Lusa/AO Online

“Inclusão, educação e saúde são três pilares fundamentais. Não podemos aceitar que no século XXI tenhamos uma inclusão metida na gaveta. Não podemos aceitar que no século XXI não tenhamos em todas as ilhas da região um modelo educacional de sucesso como a Escola Tomás de Borba e não podemos aceitar que, na região, a saúde esteja no estado calamitoso como está”, avançou.

Paulo Silva, que é cabeça de lista do Aliança pelo círculo eleitoral da ilha Terceira e pelo círculo da compensação, falava, em declarações aos jornalistas, à margem de uma visita à Escola Básica e Secundária Tomás de Borba, em Angra do Heroísmo, que considerou ter um modelo de educação a seguir por outras unidades.

“Não sei o que é que os governantes precisam de perceber mais quando têm um exemplo de sucesso dentro de casa. Só falta replicá-lo na região toda, à dimensão de cada ilha”, frisou.

O modelo educacional proposto pelo Aliança é “focado em cada aluno” e defende que cada escola deve ter “a porta aberta para os encarregados de educação e para os docentes”.

“Mais docentes nunca é demais”, sublinhou o candidato do Aliança, propondo também um programa de reformas antecipadas para professores e educadores, por serem “profissões de desgaste rápido".

“Terceira no ranking regional”, a Escola Tomás de Borba é, segundo Paulo Silva, “uma escola integrada, que tem um conservatório e as artes no seu transversal dentro da escola” e um número máximo de 22 alunos por turma.

“Se tivesse mais quatro ou cinco salas de aula era possível diminuir esse número para o que achamos desejável, até 18 alunos”, salientou.

O candidato frisou, por outro lado, que o partido enviou uma carta em braille a todos os invisuais da região com o programa de inclusão do Aliança.

“Temos um projeto diferente para a região e é esse projeto em que os açorianos têm de se rever e perceber que está na altura de mudar, de retirar uma maioria absoluta ao PS e acima de tudo de dar aos partidos mais novos esta dinâmica que nós queremos implementar e imprimir na região”, apontou.

O Aliança concorre pela primeira vez às eleições regionais dos Açores, apresentando listas nos círculos de São Miguel, Terceira e compensação.

As legislativas dos Açores decorrem em 25 de outubro, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.