Crime

AK-47 é a arma de fogo preferida dos traficantes nas favelas cariocas


 

Fabíola Ortiz, Lusa / AO online   Internacional   9 de Nov de 2009, 10:35

Apesar de ser considerada relativamente ultrapassada, a Ak-47 é uma das armas preferidas dos grupos que controlam a venda de estupefacientes nas favelas do Rio de Janeiro.
Criada por Mikhail Kalashnikov, que completa terça-feira 90 anos de idade, esta arma tornou-se popular pelo seu baixo preço - no Brasil, uma Ak-47 pode custar menos de 20 mil reais (cerca de oito mil euros).

Além disso, é uma arma prática, resistente e leve (pesa em média 4,5 quilos), podendo ser utilizado por jovens adolescentes recém-ingressados nos bandos criminosos.

É esta combinação que atrai os traficantes no Rio, explicou à Lusa o general José Albano do Amarante, que serviu no Exército durante 48 anos e há dois integra o Núcleo de Estudos Estratégicos da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.