Açoriano Oriental
AGROTER: O Palco onde as Holstein-Frísia desfilam

Entre 31 de Maio e 2 de Junho, o Parque Multissectorial da Ilha Terceira, inaugurado há um ano atrás, recebe a XVII Feira AGROTER. A exposição agro-comercial deste ano conta com 56 expositores divididos entre empresas e instituições e 22 produtores locais, “a exploração que participa com menos animais traz um exemplar enquanto a que participa com mais apresenta 19, só vacas Holstein-Frísia são 180” revela Paulo Fortuna, técnico da Associação Agrícola da Ilha Terceira (AAIT) e organizador dos concursos da raça.


Foto: Cátia Carvalho
Autor: Cátia Carvalho

O XXI Concurso Terceirense da Raça Holstein-Frísia - programado para a sexta-feira, secções de vitelas e novilhas e domingo, secção das vacas leiteiras – é um dos pontos altos da feira. Apesar dos melhores exemplares serem distinguidos com a atribuição de um prémio monetário, Fortuna assegura que o objectivo das avaliações vai mais além da quantia, “os prémios têm um valor simbólico, ninguém vem por isso. A feira serve essencialmente para os produtores avaliarem duas coisas nas suas explorações: primeiro, em que nível está a qualidade morfológica dos seus animais e segundo, como é que recria dos animais mais novos está a ser feita. Quem participa tem muito trabalho a preparar os animais, começa-se dois meses antes. Estes animais são equiparados a atletas de alto rendimento, portanto quem vem traz o melhor dos melhores. É para isso que a feira serve, para os produtores perceberem se o que estão a fazer está a ser bem feito e se não está a ser bem feito como é que podem melhorar».

Leonardo Silva, também ele técnico da AAIT, foi o formador da última Escola de Manejadores e Preparadores da Ilha Terceira realizada em Dezembro passado. É ele quem ensina aos mais novos, por norma descendentes de produtores, como é que se preparam os animais para concurso, “temos consciência que não estamos a formar futuros produtores, mas os miúdos gostam de colaborar com os pais. Se um produtor ficar conhecido pela qualidade genética dos seus animais, o prestígio da sua exploração aumenta e o produto dele vende-se mais rápido. Durante as escolas, recriamos o ambiente de uma feira agrícola para os participantes aperfeiçoarem as bases e os cuidados que se devem ter em conta quando se preparam animais Holstein-Frísia para concurso”.

Os custos de produção ficam de fora da formação, mas as técnicas que permitem disfarçar esteticamente os defeitos que os animais possam ter entram. De que forma se devem tosquiar as diferentes regiões anatómicas, que tipo de alimentação se deve fornecer antes e durante o concurso, como é que se preparam as camas e como é que os animais devem entrar em pista são alguns dos detalhes que devem estar afinados antes de cada desfile em frente dos juízes. Para se aproximar do modelo de vaca Holstein-Frísia ideal, o animal deve ter membros de boa conformação, um úbere bem-adaptado à ordenha mecânica e partos fáceis. Um exemplar com essas características é, geralmente, muito cobiçado porque estão asseguradas a sua longevidade e a sua capacidade reprodutiva.

“É assumido que os Açores, e a Terceira em particular, têm animais de grande valor genético muito próximos da excelência funcional” refere Paulo Fortuna. “Existem produtores que fizeram grandes investimentos não só nos seus animais, mas também nas suas explorações, por isso não podem parar de produzir, no entanto o futuro passa por encontrar animais com mais proteína e gordura que permitam a produção de derivados como o queijo e os iogurtes”.

As exigências que 2018 impôs à agropecuária terceirense com a acentuada falta de chuva nos meses de Abril, Maio e Junho podem ter desencorajado alguns produtores, mas o técnico da AAIT acredita que a ligação dos mais jovens ao sector é feita de ciclos, «as dificuldades que se fizeram sentir podem ter dado origem a comentários do tipo ‘isto já não dá nada’ ou ‘tira um curso que não vale a pena’, mas a verdade é que já assistimos a casos de jovens que foram estudar por insistência dos pais e quando regressaram não encontraram trabalho e por isso voltaram para as explorações. É complicado, é uma área que está cada vez mais exigente a nível burocrático e acordar 365 dias por ano às 5 da manhã, para quem faz tudo sozinho, não é fácil. É uma vida de empresário bastante diferente da do resto dos empresários, mas um produtor bem organizado pode ter uma vida muito interessante e um salário razoável».

Durante a XVII Feira AGROTER, e antes do XXI Concurso Terceirense da Raça Holstein-Frísia, será realizada uma Escola de Jovens Manejadores direccionada para crianças a partir dos 6 anos de idade. Para além deste concurso serão ainda realizados os concursos de Jovens Manejadores, o de Bovinos de Raças Puras de Carne e o de Bovinos da Raça Autótone Ramo Grande. A feira encerra no Domingo com um desfile etnográfico e bodo de leite.




Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.