Agências Moody’s e Standard & Poor’s baixam ‘rating’ da dívida da Turquia

Agências Moody’s e Standard & Poor’s baixam ‘rating’ da dívida da Turquia

 

Lusa/Ao online   Internacional   18 de Ago de 2018, 18:01

As agências Moody’s e Standard & Poor’s baixaram este sábado o ‘rating’ da dívida soberana da Turquia perante a queda da lira e a política económica do país, noticiou o diário turco Hürriyet.

“Decidimos baixar a qualificação da divida soberana [da Turquia] a longo prazo em moeda estrangeira de BB- para B+ e de longo prazo em moeda local de BB- para BB”, disse, em comunicado, a Standard & Poor’s, citada pelo Hürriyet.

Com o novo ‘rating’ a agência indicou que a compra de dívida soberana da Turquia é um negócio inseguro e especulativo, com uma avaliação dos riscos com perspetiva (‘outlook’) “estável”, não prevendo mudar a nota nos próximos 12 meses.

Por sua vez, a Moody’s reduziu a avaliação da dívida turca de Ba2 para Ba3, e alterou a perspetiva de “estável” para “negativa”, não descartando a possibilidade de uma nova descida.

Já a agência de notação financeira Fitch, que mantém o ‘rating’ da Turquia desde meados de julho, quando baixou de BB+ para BB com perspetiva “negativa”, emitiu um comunicado onde lamenta a “resposta política incompleta” do Governo turco à desvalorização da lira.

Na sexta-feira, a lira turca cedeu mais de 5% em relação ao dólar e ao euro, invertendo a subida registada nos últimos dias após a queda verificada devido à tensão política e comercial com Washington.

Contudo, na manhã de sexta-feira, a lira turca seguia a recuperação sentida nos últimos quatro dias.

Esta recuperação iniciou-se depois de o banco central turco ter realizado um leilão para captar depósitos em dólares a troco de liras a uma taxa de juro de 19,25%, isto é, 1,5 pontos percentuais acima da taxa base.

O banco central também aumentou os juros de alguns depósitos e limitou as transações dos bancos turcos com investidores estrangeiros.

O Governo turco negou na quinta-feira que o país necessite de um resgate do Fundo Monetário Internacional (FMI) e prometeu fazer reformas para reduzir a taxa de inflação elevada e aumentar o défice orçamental primário (sem juros da dívida).

A lira turca, em dificuldades há vários meses, registou uma queda muito acentuada face ao dólar em 10 de agosto, após o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter anunciado na rede social Twitter a duplicação das tarifas impostas às importações de aço e de alumínio provenientes da Turquia.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.