TC recomenda apenas 11

Administradores da SAUDAÇOR recebem 12 meses de despesas de representação


 

Lusa / AO online   Regional   26 de Abr de 2010, 19:21

Os administradores da SAUDAÇOR, a sociedade anónima que gere os investimentos no sector da saúde nos Açores, recebem 12 meses de despesas de representação por ano, apesar do Tribunal de Contas recomendar o pagamento apenas em 11 meses.
Um despacho publicado no Jornal Oficial a 21 de Abril refere que a presidente do Conselho de Administração da SAUDAÇOR, Laurentina Mendes, recebe mensalmente 5050 euros de remuneração base, acrescidos de 1080 euros de despesas de representação, durante “12 vezes por ano”.

O mesmo acontece com os vogais daquele órgão, Ramiro Silva e Luísa Melo Alves, que auferem como vencimento base menos 25 por cento que a presidente (3790 euros) e têm direito a 630 euros mensais de despesas de representação durante “12 vezes por ano”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.