Açores trabalham em soluções alternativas para as Lajes

Açores trabalham em soluções alternativas para as Lajes

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Nov de 2013, 16:06

O presidente do Governo dos Açores garantiu hoje não estar apenas à espera do desfecho do processo das Lajes no Senado norte-americano, estando a "ser trabalhadas" soluções alternativas para a base que estão "em resguardo".

"Não estamos apenas à espera da componente desta decisão militar. Fruto de diversos contactos foram e estão a ser trabalhadas vias alternativas para a utilização daquela infraestrutura", disse Vasco Cordeiro, no plenário do parlamento dos Açores, na Horta, que está a debater o orçamento regional para 2014.

O presidente do executivo açoriano acrescentou que, no entanto, essas alternativas foram colocadas "em resguardo" a partir do momento em que surgiu a possibilidade de adiamento, no Congresso e no Senado norte-americanos, do corte do contingente militar dos EUA nas Lajes.

Segundo Vasco Cordeiro, esses projetos de investimento não deixarão de se fazer por "falta de espaço" orçamental ou outro nos Açores.

A deputada do BE, Zuraida Soares, tinha antes lamentado que os documentos orçamentais da região para 2014 não tenham "uma referência" às Lajes face ao "drama" que se adivinha para a Terceira e a região se os EUA reduzirem a presença na ilha.

Na mesma resposta, Vasco Cordeiro lembrou que o PS propôs uma iniciativa no âmbito do Orçamento do Estado para 2014 com vista à criação de um plano de revitalização económica da base, que foi chumbado pela maioria PSD/CDS na Assembleia da República.

Apesar disso, disse estar "confiante" que também da parte do Governo da República haverá "sensibilidade quanto à atenção que se deve dar a esse aspeto", independentemente "daquilo que no futuro pode acontecer em relação" às Lajes. Os norte-americanos, sublinhou, já só estão a enviar militares sem família para os Açores, o que já tem impacto visível a nível do mercado de arrendamento local.

"O Governo [Regional] não está propriamente parado", sublinhou Vasco Cordeiro, dizendo que o objetivo é explorar "todas as possibilidades" para que o processo de redução do contingente dos EUA, "a ir em frente", tenha o menor impacto possível na economia da região.

O presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, elogiou as diligências diplomáticas que Vasco Cordeiro tem feito nos EUA na defesa das Lajes e concordou com o princípio de manter "em resguardo" alternativas e, nesse sentido, a ausência no plano anual de investimentos e do orçamento da região para 2014 de referências a esta matéria.

Duarte Freitas lamentou que, no entanto, os socialistas açorianos não tenham tido a mesma postura a nível da República, condenando a iniciativa do PS no âmbito do Orçamento do Estado, dizendo que seria uma forma de dar argumentos aos norte-americanos em relação ao corte que querem fazer nas Lajes.

Para Duarte Freitas, a iniciativa na AR foi demagógica e teve como objetivo ser apenas "arma de arremesso político", condicionada por interesses partidários e não da região.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.