Açores continuam a ser das regiões mais pobres da Europa

Açores continuam a ser das regiões mais pobres da Europa

 

Lusa/AO online   Regional   16 de Dez de 2013, 15:48

Apesar de ter registado uma "boa execução" dos fundos comunitários, os Açores continuam a estar entre as regiões mais pobres da Europa, afirmou Rui Amann, diretor regional do Planeamento e Fundos Estruturais.

Segundo explicou, durante uma conferência sobre "O Proconvergência e o Mar", realizada na cidade da Horta, os Açores aproximaram-se dos 75% do PIB per capita médio europeu, que permitiria colocar a região num novo patamar de desenvolvimento, mas a crise financeira não o permitiu.

"Ainda se pensou que pudéssemos vir a integrar aquelas regiões que passaram esse limiar, mas com a crise que aconteceu neste país, temos vindo a cair um pouco nesse 'ranking'", revelou Rui Amann, adiantando que os Açores têm atualmente um PIB per capita que é 73% da média europeia.

O diretor regional do Planeamento e Fundos Estruturais referiu que no próximo quadro comunitário de apoio, que arranca em 2014, os Açores vão continuar a pertencer ao grupo das denominadas "regiões proconvergência", que "agora vão passar a designar-se por regiões menos desenvolvidas ou com atraso de desenvolvimento".

Apesar disso, Rui Amann disse que, entre 2007 e 2013, os Açores registaram uma "boa execução" dos fundos comunitários, ficando mesmo acima de muitas regiões do país.

"A nível de execução, neste período de programação financeira, e apesar da crise que tem assolado a região, ou se calhar até por causa disso, a execução tem melhorado", adiantou.

Nos últimos quatro anos, os Açores tiveram acesso a 966 milhões de euros, no âmbito do Programa Operacional para a Convergência, comparticipado pelo Fundo Europeu - Feder, que permitiram apoiar 766 projetos e beneficiar, com crédito bonificado, cerca de 1.600 empresas.

Durante a conferência foi apresentado o caso concreto do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, apoiado pelo Proconvergência, em matéria de beneficiação de instalações e de investimentos na investigação científica.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.