Acidentes com autocarros mataram 300 pessoas nos últimos 30 anos


 

Lusa   Nacional   17 de Nov de 2007, 10:38

O acidente que na semana passada matou 16 pessoas na A23, Castelo Branco, foi o mais recente de uma série de desastres com autocarros, que nos últimos 30 anos fizeram 300 mortos e mais de 3.000 feridos.
Em vésperas do Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada, que se assinala domingo, este é o balanço que resulta de uma consulta da imprensa das últimas três décadas feita pela agência Lusa, que se pecar, só pode ser por defeito.
Os acidentes mais mortíferos envolvendo autocarros registaram-se em 1989, 1990, 1991, 2001 e 2007.
O primeiro envolveu um autocarro da Rodoviária Nacional (RN) que capotou entre Ferreiras e Tunes e provocou 12 mortos e 26 feridos. O inquérito realizado apontou para descuido do condutor.
Em 1990, um acidente com um autocarro da mesma companhia, próximo de Viseu, fez 17 mortos e 15 feridos. Na sua origem esteve falha humana.
O despiste de um autocarro em Ponte Pedrinha, Castro Daire, em 1991, matou 17 pessoas.
Dez anos depois, um autocarro regressava de Fátima com 38 passageiros, no IP3, perto de Santa Comba Dão, quando sofreu um acidente de que resultaram 14 mortos e 24 feridos.
Foi também em 2001 que se deu a queda da ponte de Entre-os-Rios. A maioria das 60 vítimas mortais seguia num autocarro.
O mais recente na memória, aconteceu há 15 dias, na A23, em Vila Velha de Ródão, perto de Castelo Branco.
Desasseis mortos e 23 feridos é o balanço deste acidente, que envolveu um autocarro que pertencia à Câmara Municipal de Castelo Branco e transportava 38 elementos da universidade sénior daquela cidade, que regressavam de uma visita a Fátima e Nazaré.
O ano de 1989 foi particularmente trágico quanto a acidentes envolvendo autocarros - 10 desastres - assim como 1991, com nove.
Nos últimos anos, parece ter diminuído o número de acidentes protagonizados por autocarros.
Uma constante nos vários acidentes analisados é que raramente os autocarros são os únicos intervenientes. Na maioria dos desastres estão igualmente envolvidas viaturas ligeiras e camiões, estes últimos surgem em menor número de situações.
O acidente envolvendo o maior número de autocarros registou-se em 1993, na A1, entre Aveiro-Sul e a Mealhada: um choque envolveu 11 autocarros e quatro ligeiros e provocou 90 feridos.
Nas últimas três décadas, três acidentes com autocarros aconteceram com fiéis que regressavam de Fátima.
Em 1989, um autocarro com 47 padres italianos, um camião e dois ligeiros, envolveram-se num acidente no Minho. O autocarro regressava de Fátima com destino a Santiago de Compostela e tentou ultrapassar o camião. Com o piso molhado o autocarro acabou por colidir com duas viaturas. Resultado: 32 feridos.
Em 2001, registou-se o acidente perto de Santa Comba Dão, atrás mencionado, e por último o desastre mais recente, com os alunos da Universidade Sénior de Castelo Branco.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.