Açoriano Oriental
Achados arqueológicos do palácio da Conceição são descoberta "ímpar" nos Açores

Os achados arqueológicos encontrados no palácio da Conceição, em Ponta Delgada, são uma descoberta "ímpar" e de “grande relevância” para a região.


Autor: Lusa/AO Online

O relatório técnico da Direção Regional da Cultura concluiu que a cisterna e o fontenário, descobertos no antigo convento de Nossa Senhora da Conceição, são “uma descoberta arqueológica ímpar nos Açores, pelo que se considera que a sua salvaguarda e usufruto público é de grande relevância para todo o arquipélago”, lê-se num comunicado.

O relatório resulta dos trabalhos desenvolvidos entre o fim 2019 e o início de 2020, que procederam à “caracterização arqueológica de uma estrutura hidráulica primitiva descoberta na zona claustral” daquele palácio.

Esta estrutura, datada da segunda metade do século XVII, apresenta um “elevado interesse patrimonial” com características “únicas na realidade” regional.

O relatório, citado pelo GACS, sugere que a estrutura do claustro do antigo convento seja integrada num “projeto museológico” para a “sua visitação e fruição pública”.

“Neste sentido, a equipa da estrutura para a casa da autonomia está a desenvolver uma solução arquitetónica que contempla estas recomendações técnicas e que valorize o achado arqueológico”, conclui a nota de imprensa.

Em abril de 2015, foi lançado a concurso a construção da Casa da Autonomia, um projeto museológico sobre a história do regime autonómico açoriano, a ser construído no palácio da Conceição num prazo de execução de 365 dias.

Em novembro de 2019, o secretário da Educação e Cultura, Avelino Meneses, disse, em declarações à RTP Açores, não existir data para a conclusão do projeto, reconhecendo um “alongamento de prazos” e um “acréscimo de custos” devido à descoberta de achados arqueológicos.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.