"Abordagem às dependências deverá centrar-se no humanismo e na proximidade"

"Abordagem às dependências deverá centrar-se no humanismo e na proximidade"

 

Susete Rodrigues/AO Online   Regional   5 de Nov de 2018, 15:59

O Secretário Regional da Saúde realçou esta segunda-feira, a importância de uma intervenção baseada num modelo de tratamento integrado centrado na pessoa e baseado nos princípios de humanismo e proximidade.

Rui Luís que falava em Angra do Heroísmo, à margem de uma visita à equipa de intervenção e comportamentos aditivos e dependências ‘Percursos’, da Unidade de Saúde da Ilha Terceira, disse citado em nota do executivo que “é necessário, cada vez mais, reforçar respostas diferenciadas de acordo com as necessidades e grau de dependência e contingências sociais do utente. É preciso olhar as diferentes dimensões da pessoa no seu percurso terapêutico como um fato feito à medida”.


“Estas equipas implementam diferentes programas, que vão desde a prevenção indicada, programas livres de drogas, programas de manutenção por substituição opiácea, até aos de redução de danos, sendo de extrema importância que a comunidade compreenda esta dimensão”, frisou o titular da pasta da saúde, na mesma nota.


Refira-se que o projeto ‘Percursos’ permite a rápida acessibilidade do cidadão a este recurso, sendo que, quanto mais cedo se inicia o tratamento, maiores são as probabilidades de ganhos em saúde.


Numa segunda vertente, o ‘Percursos’ encaminha doentes com necessidade de uma intervenção mais específica em regime de internamento para unidades de desabituação nos Açores, nomeadamente as casas de saúde, ou para comunidades terapêuticas no continente.


O projeto ‘Percursos’ acompanhou no primeiro semestre deste ano 450 utentes, distribuídos pelo Programa Livre de Droga, pelo Programa de Manutenção por Substituição Opiácea e pelo Programa de Redução de Danos em Baixo Limiar, num total de 2.500 atos terapêuticos.


Acrescenta o executivo que, à semelhança da equipa ‘Percursos’, existem equipas de intervenção em comportamentos aditivos e dependências em toda a Região.


Na sua maioria, estas equipas estão enquadradas nas Unidades de Saúde de Ilha, sendo que a do Faial está integrada no Hospital da Horta e as de São Miguel em três Instituições Particulares de Solidariedade Social.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.