3 a 5 anos de prisão para assaltantes de bomba de gasolina


 

Lusa/AO online   Nacional   16 de Out de 2007, 17:52

O Tribunal Judicial de Viana do Castelo condenou  cinco jovens a penas de prisão de três anos pelo assalto a um posto de abastecimento de combustíveis em Chafé, em Março de 2004.
     Duas das penas foram suspensas enquanto os restantes arguidos vão cumprir prisão efectiva.

    Com idades entre 22 e 29 anos, os arguidos são todos da zona do Porto e dois deles foram ainda condenados a oito meses por conduzirem sem estar devidamente habilitados para o efeito, tendo a estes sido aplicada, em cúmulo jurídico, a pena única de três anos e quatro meses de prisão.

    Segundo a acusação, os factos remontam à noite de 21 de Março de 2004, quando os arguidos decidiram deslocar-se a Viana do Castelo em duas viaturas roubadas.

    Cerca das 02:40 do dia seguinte pararam num posto de abastecimento de combustíveis no lugar de Lordelo, freguesia de Chafé, que se encontrava encerrado, e partiram o vidro da porta à pedrada, entrando nas instalações.

    Furtaram 52 maços de tabaco, cerca de 150 isqueiros, várias pastas de chocolate, um rolo de tubo de instalação de gás, uma mala de ferramentas e diversas garrafas de bebidas, tudo no valor de cerca de 500 euros.

    Após o assalto, seguiram em direcção à cidade de Viana do Castelo, onde uma viatura em que alguns deles seguiam ficou sem combustível, tendo, por isso, os arguidos decidido apoderar-se de outro automóvel.

    Forçaram, sem sucesso, a porta de três veículos estacionados na Rua Ramalho Ortigão e acabaram por se introduzir numa quarta viatura, mas foram, pouco depois, interceptados por uma patrulha da PSP.

    Conduzidos a tribunal, três dos indivíduos ficaram em prisão preventiva, enquanto os restantes três aguardaram julgamento em liberdade, apenas sujeitos a termo de identidade e residência e apresentações periódicas nos postos policiais da sua área de residência.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.