Zuraida Soares desafia oposição a falar das "ameaças da Troika"

Zuraida Soares desafia oposição a falar das "ameaças da Troika"

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   3 de Out de 2012, 14:30

A coordenadora regional do BE/Açores, Zuraida Soares, desafiou esta quarta-feira os dirigentes regionais do PSD, PS e CDS-PP a abordarem na campanha eleitoral "a realidade" e "as ameaças que o Governo da Troika impõe à região", em detrimento de "slogans"

.“Parem de andar em campanha com os slogans e falem da realidade da vida das pessoas. Falem das ameaças que o Governo da Troika impõe a esta região. Falem do Governo que todos eles defendem”, afirmou Zuraida Soares, após uma visita ao Centro de Formação Aeronáutica da SATA, na ilha de Santa Maria.

Zuraida Soares, que é também cabeça de lista do BE/Açores pelo círculo de S. Miguel, voltou hoje a alertar para "as ameaças que pairam sobre a economia açoriana, postos de trabalho e famílias" e questionou o dirigente regionais do PSD, PS e CDS-PP sobre a abordagem que pensam fazer.

"Daqui de Santa Maria eu quero falar diretamente para a doutora Berta Cabral (PSD), para o doutor Vasco Cordeiro (PS) e para o doutor Artur Lima (CDS-PP), representantes da Troika nos Açores, e perguntar quando é que eles começam a falar e a dizer alguma coisa em defesa dos açorianos por esta dupla e tripla penalização que ameaça a economia, os postos de trabalho e as pessoas", questionou.

A coordenadora regional do BE/Açores alertou que embora ainda "não sejam conhecidas as linhas gerais do próximo Orçamento de Estado", vão vir "mais impostos para quem trabalha, o que quer dizer mais desemprego e mais falências e miséria", acrescentando que os Açores serão "duplamente penalizados".

Segundo disse, "a esta quase certa imposição de mais impostos vai-se inevitavelmente juntar a iminente revisão da Lei de Finanças Regionais que vai trazer ainda mais impostos e menos dinheiro para os Açores".

Na visita que fez ao Centro de Formação Aeronáutica, Zuraida Soares defendeu ainda a criação, na ilha Terceira, de "uma plataforma logística de aeronáutica civil entre os dois continentes que dê resposta à saturação das rotas aéreas entre a América e a Europa".

"A Base das Lajes, na Terceira, com uma nova valência não militar, mas para a aeronáutica civil, e Santa Maria com as três entidades já existentes (a Estação Espacial Europeia, a NAV e o Centro de Formação Aeronáutica) seria um projeto que só pode trazer mais valias à economia regional, ao emprego qualificado e à riqueza e futuro da região", sublinhou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.