Vasco Cordeiro diz que revitalização da Terceira já dá resultados

Vasco Cordeiro diz que revitalização da Terceira já dá resultados

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Set de 2018, 09:09

O presidente do Governo dos Açores considerou que a fixação de empresas na Praia da Vitória, no âmbito do projeto Terceira Tech Island, é uma prova de que o plano de revitalização da Terceira já dá “resultados”.

“Aquilo de que estamos a falar aqui é exatamente de resultados desse plano, dessa estratégia e dessa abordagem, que neste caso concreto, através do projeto Terceira Tech Island, permite a instalação de uma empresa como a Glintt na nossa região”, adiantou Vasco Cordeiro, referindo-se ao Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT), apresentado pelo executivo açoriano em 2015 para minimizar os impactos da redução militar norte-americana na base das Lajes.

O presidente do executivo açoriano falava na inauguração da empresa Glintt Açores, uma das seis empresas na área das novas tecnologias que se instalou no último ano na cidade da Praia da Vitória, no âmbito do programa Terceira Tech Island.

A Glintt, que desenvolve software para mais de 200 hospitais e 14.000 farmácias, em seis países, decidiu criar uma nova empresa na Praia da Vitória, a Glintt Açores, contratando 15 funcionários, 10 dos quais que terminaram em julho o segundo curso de formação avançada em programação informática do Terceira Tech Island.

“Estamos a falar numa taxa de empregabilidade que, às três semanas, depois da conclusão desse curso, está nos 85%”, salientou Vasco Cordeiro.

Desde fevereiro, já concluíram uma formação intensiva em programação informática na ilha Terceira 40 pessoas e outras 20 iniciam o terceiro curso na próxima semana.

Além de comparticipar as formações, o Governo Regional disponibilizará também habitações e sedes às empresas, que serão instaladas no futuro na antiga escola da Força Aérea norte-americana, junto à base das Lajes.

Segundo o presidente do Governo Regional, os Açores estão a conseguir dar resposta a uma necessidade global, já que só em Portugal se estima que faltem “50 mil programadores”, e isso tem promovido a “captação de investimento” na região.

“O Terceira Tech Island tem um objetivo estrutural, que é exatamente aproveitar esta revolução digital que passa por todo o lado para também potenciar os seus efeitos do ponto de vista da requalificação de ativos, da capacidade de atração de investimento e de empreendedores, bem como de quadros qualificados”, frisou.

Vasco Cordeiro defendeu que os Açores têm um “ecossistema particularmente favorável ao investimento e ao empreendedorismo”, possuindo o “mais abrangente e atrativo” sistema de incentivos para o investimento privado da União Europeia e um diferencial fiscal nos impostos em relação ao território continental.

“Entre 2013 e 2018, entre projetos já apresentados, executados e em execução, estamos a falar de verbas de cerca de 400 milhões de euros de investimento privado”, reforçou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.