Vasco Cordeiro aponta qualidade do emprego nos Açores como meta do Plano de 2019

Vasco Cordeiro aponta qualidade do emprego nos Açores como meta do Plano de 2019

 

Lusa/AO Online   Regional   11 de Set de 2018, 08:27

O presidente do Governo dos Açores apontou hoje a qualidade do emprego e sua remuneração como parte integrante da estratégia que pretende desenvolver com o Plano e Orçamento de 2019, a par do combate à precariedade.

Tendo como a referência as alusões por parte de diversos parceiros sociais e partidos políticos, Vasco Cordeiro referiu que “há áreas que constituem já matérias nas quais o Governo Regional está a atuar, implementando medidas -, o que é importante, porque dá um sentido estratégico do Plano de Investimentos de 2019 - como a qualidade do emprego”.

Falando aos jornalistas, no Palácio de Santana, em Ponta Delgada, no final das audiências concedidas aos parceiros sociais e partidos políticos no âmbito da preparação do Plano e Orçamento para 2019, o líder do executivo socialista referiu que a preocupação com a qualidade do emprego tem em atenção não apenas o fenómeno da precariedade, mas também da remuneração laboral, a par do desemprego jovem.

Vasco Cordeiro apontou como outra das metas que se pretende atingir com as medidas já adotadas, e outras a desenvolver, a aposta na qualidade da prestação dos serviços públicos na saúde e educação por via do reforço dos recursos humanos previstos e programas que apostam no sucesso escolar.

Também os transportes são alvo de uma atenção especial pelo contributo que dão para a circulação de pessoas e bens no mercado inter-ilhas e ligações com o exterior, na leitura do governante.

O chefe do executivo açoriano destacou ainda o papel desempenhado pelas pescas, agricultura, turismo e ambiente, setores que assumem uma “grande importância” na perspetiva da competitividade da economia açoriana e “diferenciação da região” relativamente a outros destinos no planeta.

“Tudo isto tendo como objetivo principal de garantir um crescimento da economia dos Açores robusto, sustentado, que seja cada vez mais capaz de repartir rendimentos, criar riqueza e emprego na região”, declarou.

A reunião do Conselho Regional de Concertação Estratégica, onde serão analisadas as propostas do Plano e Orçamento da Região para o próximo ano, terá lugar no final deste mês.

As medidas serão depois submetidas a aprovação em Conselho de Governo e entregues na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, onde serão sujeitas a debate e votação em plenário.

O Orçamento dos Açores para 2018 foi aprovado com os votos contra de oposição e é de 1.292 milhões de euros, valor sensivelmente igual ao de 2017, enquanto o Plano de Investimentos global é de 753 milhões de euros, um decréscimo de cerca de 3% face ao de 2017.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.