Saúde

Três em cada quatro doentes com cancro morrem nos hospitais contra vontade

Três em cada quatro doentes com cancro morrem nos hospitais contra vontade

 

Lusa/AO online   Nacional   22 de Set de 2011, 12:21

Três em cada quatro doentes com cancro morreram numa instituição hospitalar, apesar de mais de metade exprimirem a vontade de serem tratados em casa na fase terminal, segundo um livro que é lançado hoje em Lisboa.
O obra “A Morte e o Morrer em Portugal”, da autoria de Maria do Céu Machado, Luísa Couceiro, Isabel Alves, Ricardo Almendra, Maria Cortes, é um estudo sobre a mortalidade em Portugal nos anos 2000, 2004 e 2008.

O estudo indica que 74,9% dos doentes com cancro morreram em hospital ou clínica, 22% em casa e 3% noutro local.

“Em Portugal, tal como na generalidade dos países desenvolvidos, a maioria dos doentes com tumor maligno morrem em instituição hospitalar”, mas “esta situação parece estar em dissonância com aquilo que diversos estudos realizados noutros países mostraram: mais de metade das pessoas exprime a vontade de serem tratados em casa na fase terminal”, refere.

Embora não haja estudos em Portugal que tenham abordado esta questão, a situação será provavelmente coincidente com o que se verifica nos outros países.

Os autores consideram que para uma boa qualidade de vida na fase terminal é determinante que os doentes possam ser tratados com “respeito e dignidade, sem sofrimento, no ambiente familiar e na companhia dos familiares e amigos”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.