Sócrates incentiva líderes europeus a apoiarem plano de Barroso

Sócrates incentiva líderes europeus a apoiarem plano de Barroso

 

Lusa/AO Online   Internacional   11 de Dez de 2008, 14:21

José Sócrates salientou hoje, em Bruxelas, a necessidade de os líderes europeus apoiarem o pacote de relançamento da economia dos 27 proposto pela Comissão Europeia como forma de lutar contra a crise económica e apoiar a manutenção de empregos.

  "A economia europeia está à espera desta decisão e eu espero que possamos apoiar essa proposta da Comissão [Europeia] que, no fundamental, faz um compromisso com uma iniciativa de mais investimento público", disse o primeiro-ministro à chegada ao Conselho Europeu.

    Os chefes de Estado e de Governo da UE iniciaram esta tarde uma reunião de dois dias em que vão tentar encontrar um consenso em torno de um plano de relançamento da economia europeia e do pacote energético e de combate às alterações climáticas, mas as diferenças ainda são muitas.

    "Acho que o ponto mais importante é a discussão sobre o pacote económico que a Comissão apresentou e vai ser discutido", sublinhou José Sócrates, acrescentando que Portugal "vai apoiar esse pacote", porque "trata-se de uma iniciativa da maior importância".

    Os líderes europeus serão assim chamados a validar um plano europeu de relançamento da economia que prevê um esforço orçamental equivalente a 1,5 por cento do PIB da UE (cerca de 200 mil milhões de euros), inspirado num projecto apresentado por Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia.

    Mas antes do início da última cimeira sob presidência francesa não há ainda consenso sobre a percentagem indicada de "pelo menos" 1,5 por cento do PIB comunitário, nem sobre outras propostas avançadas, como a ideia de aplicar na melhoria de infra-estruturas cinco mil milhões de euros não utilizados do orçamento dos 27 ou permitir de forma permanente a taxa de IVA reduzida nos serviços de mão-de-obra intensiva.

    Os chefes de Estado e de Governo da UE irão ainda tentar chegar a um acordo final sobre a repartição entre os Estados-membros dos esforços de luta contra os gases com efeito de estufa, responsáveis por alterações climáticas.

    Outro dos grandes temas do Conselho Europeu será o Tratado de Lisboa, com 26 líderes a esperarem que um, o irlandês, se comprometa a ratificar o Tratado de Lisboa através de um novo referendo em 2009, depois de a Irlanda receber garantias no sentido da manutenção de um comissário europeu em Bruxelas e não interferência das normas europeias em várias áreas sensíveis: aborto, fiscalidade e neutralidade.

   

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.