Sistema inédito no país para pagar estacionamento por telemóvel arranca na quarta-feira

Sistema inédito no país para pagar estacionamento por telemóvel arranca na quarta-feira

 

Lusa/AO online   Regional   28 de Ago de 2012, 17:06

A cidade de Ponta Delgada, nos Açores, vai ser a partir de quarta-feira a primeira do país a disponibilizar um sistema inovador de pagamento de estacionamento através do telemóvel, exigindo apenas um "smartphone"

"É uma oportunidade de modernização que queremos apresentar aos munícipes e aos visitantes, numa demonstração da vontade de fazermos de Ponta Delgada uma cidade moderna e modernizada", afirmou o presidente da Câmara da Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro.

O novo sistema, que resultou de um “desafio” lançado pela autarquia à empresa DataRede, que desenvolveu a aplicação, além de maior comodidade no pagamento, permite que o estacionamento seja pago ao minuto e não, como agora, por períodos de 15 minutos e que o tempo de estacionamento possa ser recarregado a partir do local onde o utente se encontra.

Nesta primeira fase, José Manuel Bolieiro revelou que serão creditados cinco euros na conta de cada pessoa que se registar no endereço www.iparque.pt, mas no futuro será necessário que os utilizadores deste sistema carreguem previamente a sua conta com o valor que pretenderem, sendo depois subtraído o valor do estacionamento sempre que o sistema for utilizado.

Em termos práticos, as pessoas devem descarregar gratuitamente a aplicação, que está disponível para iPhone e Android, fazer o registo naquele endereço eletrónico e autenticar-se com os dados que lhe forem fornecidos.

A partir dessa altura, pode utilizar o sistema, desde que a sua conta tenha saldo suficiente para pagar o estacionamento.

A partir de outubro, segundo o presidente da autarquia, o estacionamento no centro de Ponta Delgada vai ser também facilitado com a colocação de “painéis informativos dos lugares de estacionamento disponíveis”.

“Isto permitirá às pessoas saber antecipadamente onde há lugares disponíveis e deslocar-se diretamente para lá”, frisou o autarca, acrescentando que a iniciativa começará por “uma rua” a título experimental e será depois alargada a outras artérias.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.