Sindicalistas desafiam candidatos a integrarem marcha contra o desemprego


 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   3 de Out de 2012, 14:37

As uniões de sindicatos de S. Miguel e Santa Maria e de Angra do Heroísmo desafiaram esta quarta-feira os candidatos às eleições regionais a participarem na marcha contra o desemprego que promovem sexta-feira nas duas maiores cidades açorianas.

A presença de dirigentes partidários e de candidatos às eleições regionais de dia 14 nessas manifestações “seria importante para demonstrar a sua preocupação” perante um problema que já “atinge 18.999 pessoas nos Açores” e que se “se vai agravar proximamente com o fim do emprego sazonal”, afirmou o sindicalista Paulo Marques, numa conferência de imprensa em Ponta Delgada.

Integrada numa ação desenvolvida a nível nacional pela CGTP, a “Marcha Contra o Desemprego – Trabalho com Direitos” tem início às 15:00 locais (16:00 de Lisboa) em Angra do Heroísmo e Ponta Delgada, no Alto das Covas e Porta da Cidade, respetivamente.

Ao realçar a gravidade dos números do desemprego registados no arquipélago, que no final do primeiro semestre de 2012 atingia os 15,6 por cento, segundo dados do Serviço Regional de Estatística que citou, Paulo Marques sublinhou que “em apenas um ano esse valor se agravou em 5,9 por cento”.

O porta-voz das uniões de sindicatos de S. Miguel e Santa Maria e de Angra do Heroísmo afirmou ainda, que, no respeitante aos problemas colocados aos trabalhadores, “a situação nos Açores não é muito diferente da registada no país”.

“É monstruoso que, na situação de crise que estamos a viver, sejam desperdiçados avultados investimentos feitos na educação, formação e qualificação de centenas de milhares e pessoas e secundarizadas experiências e competências adquiridas ao longo da vida, ao mesmo tempo que não se rentabiliza uma imensa capacidade produtiva que está disponível”, considerou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.