Seguro acusa Passos Coelho e Governo de não lutarem pelos interesses do país

Seguro acusa Passos Coelho e Governo de não lutarem pelos interesses do país

 

Lusa/AO online   Economia   11 de Out de 2012, 15:12

O secretário-geral do PS, António José Seguro, acusou o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o Governo de não lutarem a seu lado pela defesa dos interesses do país, depois de uma reunião com o Presidente da República Francesa.

“Aquilo que eu não percebo é por que é que o Governo português e o primeiro-ministro português não lutam ao meu lado para defender os interesses do nosso país. Nós precisamos de baixar os custos do nosso financiamento, precisamos de mais tempo. É isso que eu tenho andado a fazer, foi isso que eu hoje aqui fiz”, declarou António José Seguro aos jornalistas, em Paris, depois de uma conversa com o socialista François Hollande.

O líder do PS português veio “expressar” as suas “preocupações” ao Presidente francês: “Eu considero que Portugal está a viver um momento dramático, um momento difícil, e que há uma parte da saída da crise que tem que encontrar soluções ao nível europeu”, afirmou.

“O que tive oportunidade de escutar é que há uma unidade nos objetivos [e] uma solidariedade na ação quanto à necessidade de a União Europeia adotar políticas que tenham como prioridade o crescimento da economia e o emprego”, acrescentou.

António José Seguro lembrou que “estamos na véspera de um Conselho Europeu importante” e que vai, por isso, na próxima semana, deslocar-se à Alemanha “com o mesmo propósito: lutar e defender os interesses de Portugal”.

“E neste momento os interesses de Portugal são [mais bem] defendidos se a União Europeia adotar as posições que deve adotar e as propostas que tenho apresentado”, acrescentou, defendendo que é “fundamental que o Banco Central Europeu tenha um papel mais ativo”.

O líder socialista disse ainda que está preparado para ser primeiro-ministro, mas que não é o seu objetivo. Prometeu “continuar a lutar e a bater-se” para “melhorar a vida dos portugueses”, e repetiu que votará contra o Orçamento do Estado para 2013.

António José Seguro afirmou também que foi sua a iniciativa de pedir este encontro com François Hollande, e que sai “muito satisfeito”. Sobre o balanço que o Presidente francês faz desta conversa nem uma palavra: Hollande não se deixou ver, nem à entrada, nem à saída.

O secretário-geral do PS vai ainda ser recebido na Assembleia Nacional pelo líder do Grupo Parlamentar Socialista, Bruno Le Roux, e tem um almoço de trabalho com a direção do Grupo. À tarde será recebido na sede do Parido Socialista Francês por Harlem Désir, primeiro secretário.

No dia em que Hollande foi eleito, a 6 de maio, o secretário-geral do PS considerou que a sua eleição abria “uma lufada de ar fresco e um novo ciclo de esperança para a Europa".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.