Taça de Portugal

Rio Ave elimina Braga nas grandes penalidades

Rio Ave elimina Braga nas grandes penalidades

 

Lusa/AO online   Futebol   3 de Fev de 2010, 21:11

O Rio Ave apurou-se para as meias finais da Taça de Portugal  ao vencer o Sporting de Braga, por 6-5, numa sessão de desempate por penáltis com 18 remates, após o 0-0 no final do prolongamento
O anfitrião Sporting de Braga teve duas oportunidades de sair vencedor, mas Hugo Viana e Renteria desperdiçaram as defesas anteriores do seu guarda-redes e seria Rodriguez a chutar para fora o 18º penálti, dando o triunfo à equipa de Vila do Conde.
Foi um jogo de fraca qualidade e o pior do Sporting de Braga em casa nesta temporada, claramente a sentir a ausência da segurança e dinâmica de Vandinho e, sobretudo, da capacidade de acelerar o jogo de Mossoró,  jogadores castigados que assistiram à partida na tribuna ao lado do presidente “arsenalista”, António Salvador.
O Rio Ave mostrou mais frescura física e, mesmo sem ter dominado o encontro, pertenceram-lhe em quantidade e qualidade os melhores lances da partida, pelo que foi indiscutivelmente um justo vencedor.
Na primeira parte, a equipa “arsenalista” até teve mais tempo a bola em seu poder, mas raramente conseguiu fazer alguma coisa de positivo com ela.
O Rio Ave foi equilibrando a contenda e protagonizou os principais lances de perigo: Chidi colocou Eduardo à prova (27), Sidnei cabeceou para defesa atenta do internacional português (29) e, logo a seguir, Wires rematou com muita força e a bola passou perto do poste esquerdo.
A equipa da casa só acordou nos últimos cinco minutos e apenas aos 39 criou a primeira jogada perigosa na primeira parte.
Alan cruzou da direita, mas Meyong e Rafael Bastos não conseguiram emendar para o fundo da baliza.
Aos 44 minutos, jogada similar pela direita, agora com Filipe Oliveira a cruzar e Rafael Bastos a falhar o remate bem no centro da área. No reatamento, a equipa de Vila do Conde entrou melhor e criou duas oportunidades no mesmo minuto (48) e pelo mesmo jogador, mas Eduardo defendeu bem ambos os remates de Sidnei.
Mas a segunda parte não trouxe um jogo melhor e as oportunidades de golo voltaram a ser praticamente inexistentes.
O jogo seguiu para prolongamento e os primeiros sinais de perigo pertenceram novamente ao Rio Ave: aos 97, após bom trabalho de Sílvio pela esquerda, Chidi rematou com muito perigo, mas a bola foi prensada para canto e aos 103 minutos o avançado nigeriano voltou a “disparar” de fora da área, agora para defesa vistosa de Eduardo.
Falha de ideias e “espremida” fisicamente, o único lance merecedor de destaque da equipa bracarense neste período foi um remate de Hugo Viana aos 119 minutos que saiu muito perto da baliza de Mora.
O posterior desempate através de remates da marca dos 11 metros castigou o vazio da equipa bracarense.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.