Revista de imprensa nacional


 

Lusa/AO   Nacional   20 de Nov de 2008, 05:44

O pedido de apoio do Banco Privado Português ao Estado, a ruptura entre sindicatos e o Ministério da Educação sobre avaliação de desempenho e a ausência de radares nas auto-estradas são temas hoje em destaque na imprensa lisboeta.
Na primeira página, o Público destaca “Banco Privado Português foi o primeiro a usar apoio do Estado”, referindo que o banco liderado por João Rendeiro pediu ao Governo uma garantia estatal para poder solicitar um empréstimo de 750 milhões de euros para repor a liquidez.

    O Público adianta ainda que uma “auditoria ao BPN revela créditos a Duarte Lima e Arlindo Carvalho [militantes sociais-democratas]”.

    “Crise pressiona venda do Banco Privado Português” adianta o Diário de Notícias em manchete, referindo que o banco tem perdido muitos investimentos e depósitos.

    Ao jornal, o presidente do Conselho de Administração do BPP, João Rendeiro, recusou confirmar a possível venda, mas admitiu mais tarde à SIC notícias a abertura do capital a novos accionistas.

    O destaque fotográfico do DN vai para o restaurante Casa da Calçada, em Amarante, que recuperou a estrela Michelin.

    O Correio da Manhã noticia “Governo falha tréguas na Educação”, salientando que os sindicatos e o Ministério da Educação não conseguiram chegar a um entendimento quanto à avaliação de desempenho dos professores.

    O diário diz que o Presidente da República, Cavaco Silva, afirmou ter “muita pena” de que o seu apelo à serenidade “não tenha aparentemente surtido efeito”.

    A manifestação de militares quarta-feira à noite em Lisboa contra a estagnação da carreira e os dados que apontam para 220 mil desempregados sem trabalho há mais de um ano são outros assuntos abordados no CM.

    “Auto-estradas sem radares” é a manchete do Jornal de Notícias, referindo que a estratégia de combate aos excessos de velocidade privilegia vias secundárias.

    O jornal diz ainda que o presidente da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, Paulo Marques, admitiu prescrição de milhares de multas.

    O Jornal de Negócios chama à primeira página “João Rendeiro procura financiador para o BPP”, contando que as sociedades que investiam em acções obrigaram o banco a cobrir parte das menos-valias.

    O económico revela ainda que alguns accionistas como Stefano Saviotti e Joaquim Coimbra criticaram o líder do executivo da instituição.

    “CGD vai passar a accionista da Sumol/Compal no próximo ano” e “Autarquias: dez mil funcionários em risco de perder regalias” são outras chamadas de capa do JdN.

    Por seu turno, o Diário Económico faz manchete com o título “Estado tem 262 milhões para promover funcionários”.

    De acordo com o jornal, o Orçamento do Estado para 2009 tem inscritos 262 milhões para progressões na carreira por bom desempenho e contratação de novos funcionários.

    O DE puxa ainda para a capa os títulos “Banco de Rendeiro recorre a aval do Estado”, “Livraria Byblos está em risco de fechar portas” e “Caixa deve ficar com empresas de saúde da SLN [Sociedade Lusa de Negócios]”.

    A Visão dedica a primeira página à Educação titulando “Professores: a turma dos resistentes”, contando que jornalistas da revista visitaram várias escolas do país para ver o que de facto mudou na vida dos professores com as novas reformas.

    A revista Sábado destaca “Os melhores hospitais deste ano”, divulgando um ranking com os melhores classificados a nível geral, resultado de um estudo que avaliou 62 hospitais.

    A goleada (6-2) imposta pelo Brasil a Portugal na madrugada de hoje na capa dos matutinos desportivos, que destacam o pior resultado da selecção portuguesa nos últimos 25 anos.

    “Samba na madrugada”, titula A Bola, sobre foto de Luís Fabiano a festejar um dos três golos que apontou no desafio da selecção de Dunga contra a equipa escolhida por Carlos Queirós.

    “Portugal até começou a ganhar…” comenta o jornal, que cita uma declaração do técnico da selecção portuguesa: “sofremos golos patéticos”.

    No Record, a mesma foto de Luís Fabiano, mas mostrando um desalentado Cristiano Ronaldo, é acompanhada pelo título “Portugal humilhado”, comentando “hat-trick de Fabiano no eclipse de Ronaldo”.

    “Há 53 anos que a Selecção não encaixava seis golos”, recorda o matutino, que comenta ainda: “Carlos Queiroz perde outra vez. Triunfos só contra Malta e Ilhas Faroé…”.

    Na capa de O Jogo uma foto de Robinho a deitar a língua de fora e o título “Pôxa irmão”, afirmando que o jogador brasileiro “foi um diabo à solta e Fabiano marcou três golos”.

    “É preciso recuar 53 anos para encontrar goleada igual contra a Suécia”, comenta ainda o matutino.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.