Açoriano Oriental
EUA/Irão
Rei da Jordânia diz que conflito representaria "caos indescritível"

Um conflito entre o Irão e os Estados Unidos representaria um “caos indescritível”, alertou hoje o rei jordano Abdullah II, num discurso feito no Parlamento Europeu sobre a crescente tensão no Médio Oriente.

article.title

Foto: EPA/PATRICK SEEGER
Autor: Lusa/AO Online

“E se da próxima vez, nenhum dos lados der um passo atrás e nos arrastarem a todos para um caos indescritível?”, referiu o monarca no hemiciclo do Parlamento Europeu em Estrasburgo, numa altura em que as tensões entre Teerão e Washington parecem ter diminuído um pouco em relação à semana passada.

“Uma guerra total põe em risco a estabilidade de toda a região. Além disso, pode perturbar massivamente toda a economia mundial (...) e provocar um ressurgimento do terrorismo em todo o mundo”, avisou o rei jordano, que já havia mostrado na segunda-feira, em declarações ao canal France 24, a sua preocupação pelo eventual “ressurgimento” do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

“O que acontece no Médio Oriente tem repercussões em todo o mundo”, disse em inglês Abdullah II, monarca de um dos poucos países da região que desfruta de relativa estabilidade.

“E se a Síria permanecer refém das rivalidades internacionais e voltar a entrar em guerra civil? E se testemunharmos um ressurgimento do [grupo ‘jihadista’] Estado Islâmico e a Síria se tornar uma base para ataques contra o resto do mundo?”, questionou.

O Iraque, onde a paz se mantém “frágil”, ainda corre o risco de “regressar a um ciclo errático (...), ou, pior, a entrar num conflito”, alertou Abdullah II.

E na Líbia - uma das principais preocupações internacionais atuais, a par do Irão -, “o que aconteceria se se afundasse numa guerra total (...) se se tornasse numa nova Síria, apenas muito mais perto da Europa?”, perguntou aos eurodeputados.

O rei da Jordânia também se concentrou na “ferida mais profunda” da região: o conflito entre Israel e palestinianos.

“Os perigos aumentaram”, alertou Abdullah II.

“Eu já disse isto inúmeras vezes e de inúmeras maneiras, mas vou repetir: um mundo em paz não é possível sem um Médio Oriente estável. E um Médio Oriente estável não é possível sem paz entre palestinianos e israelitas”, afirmou, arrancando palmas aos eurodeputados.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.