Açoriano Oriental
Solidariedade
Recolha de alimentos sensibiliza micaelenses
Mais ou menos cheios, os sacos distribuídos pelos voluntários para mais um recolha de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome iam enchendo os carrinhos...
Recolha de alimentos sensibiliza micaelenses

Autor: Luísa Couto
“Contribuí com menos um pouco que no ano passado, mas não deixei de dar alguma coisa porque não se sei se um dia também posso vir a precisar. A vida dá muitas voltas”, indicava Vera Sousa, enquanto entregava o seu contributo, domingo à tarde, num hipermercado de Ponta Delgada.

Quem também não deixou de contribuir foi a pequena Inês que com apenas cinco anos de idade já tem noção do que o seu acto representa. “É comida para meninos pobres”, referia.

“Convém que desde pequenos tenham a noção da importância da partilha, sobretudo num momento em que muitas famílias vivem com grandes dificuldades”, assumia a mãe.

“O problema é que muitos dos que mais têm e que deviam contribuir com mais passam ao lado de iniciativas tão meritórias como esta”, lamentava a jovem.

É que ao longo do passado fim-de-semana decorreu mais uma campanha do Banco Alimentar, mobilizando cerca de 260 voluntários.

Refira-se, a propósito, que no ano passado, o Banco Alimentar Contra a Fome de São Miguel entregou 425 toneladas de alimentos, beneficiando cerca de 3000 famílias através da distribuição de cabazes ou refeições.
 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.