Saúde

Rastreio do cancro da mama já permitiu realizar 15 mil mamografias

Rastreio do cancro da mama já permitiu realizar 15 mil mamografias

 

Lusa / AO online   Regional   16 de Ago de 2010, 18:37

O programa de rastreio do cancro da mama lançado pelo Governo Regional dos Açores em 2008 já permitiu a realização de cerca de 15 mil mamografias, que detectaram 0,3 por cento de casos positivos.
Estes dados foram esta segunda-feira revelados à Lusa por fonte oficial da Secretaria Regional da Saúde, acrescentando que "não há registo de óbitos em relação aos casos detectados, uma vez que foi possível o tratamento precoce".

A fonte salientou ainda que 9,6 por cento dos rastreios realizados "tiveram seguimento para consultas de aferição".

O programa de rastreio do cancro da mama arrancou em 2008 no concelho do Nordeste, em S. Miguel, e tem vindo a percorrer as diversas ilhas do arquipélago, registando “uma média de adesão de 60 por cento”.

O rastreio, direccionado para mulheres entre 45 e 74 anos, é organizado pelo Centro de Oncologia dos Açores, que envia as convocatórias em colaboração com os centros de saúde.

Este programa começou hoje no Faial, onde foram convocadas cerca de 2700 mulheres para o rastreio.

O equipamento para o rastreio do cancro da mama está instalado no Largo do Infante, na cidade da Horta.

Além do Faial, o programa abrange também nesta altura a ilha de S. Jorge, ficando a faltar apenas a realização do rastreio em algumas localidades da Terceira e de S. Miguel.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.