PSI 20 fecha a subir 1,38%


 

Lusa / AO online   Economia   6 de Nov de 2007, 16:16

A Euronext Lisboa fechou em alta, com o PSI 20 a subir 1,38 por cento, para 12.916,50 pontos, animado pela subida da PT e EDP.
Dos 20 títulos que compõem o índice de referência da bolsa portuguesa 16 subiram, 3 desceram e 1 ficou inalterado, numa sessão de elevada liquidez com 76,8 milhões de acções transaccionadas, no valor de 408,9 milhões de euros.

A Portugal Telecom (PT) foi a estrela da sessão, na véspera da concretização do spin-off da PT Multimédia, tendo chegado a máximos de 2001 e fechado a subir 3,26 por cento, para 9,5 euros.

A empresa liderada por Henrique Granadeiro beneficiou ainda de recomendações favoráveis por parte da UBS e do Citigroup.

Enquanto a primeira reviu em alta a recomendação sobre os títulos da PT, de neutral para comprar, ajustando o preço-alvo para 10,2 euros (sem PTM), o banco norte-americano (que tem uma recomendação de compra para a PT) subiu o preço-alvo da acção de 9,61, para 10,4 euros.

Pelo contrário, a PT Multimédia voltou às quedas, registando a maior desvalorização do PSI 20, de menos 1,08 por cento, para 9,2 euros.

A EDP, que apresenta resultados na quinta-feira, foi o segundo título que mais valorizou ao ganhar 2,47 por cento, para 4,56 euros.

A eléctrica nacional foi o título mais transaccionado do PSI com 25,3 milhões de acções a trocarem de mãos, no valor de 114,5 milhões de euros.

O BCP fechou a subir 1,88 por cento, para 3,25 euros, enquanto que o BPI valorizou 1,40 por cento, para 5,78 euros.

A Altri, que apresenta resultados quarta-feira, fechou a subir 2,08 por cento, para 5,90 euros, no dia em que a Espírito Santo Research iniciou a cobertura do título com uma recomendação de ‘comprar’, com um preço alvo de 8 euros.

Com subidas superiores a 1 por cento encerraram a Mota Engil, Jerónimo Martins, REN, Brisa e Sonae Indústria.

Além da PT Multimédia fecharam no vermelho os títulos da Portucel e da Cimpor.

A Sonae SGPS fechou inalterada.

A bolsa portuguesa fechou em sintonia com os principais mercados europeus, que avançaram pela primeira vez em quatro sessões, com os investidores focados nas perspectivas de ganhos das empresas.

A Swiss Reinsurance Co., a maior empresa mundial de resseguros, e a Vestas Wind Systems, a maior produtora de turbinas eólicas, subiram depois dos resultados terem superado as estimativas dos analistas.

A BHP Billiton liderou a subida das mineiras, influenciada pelo aumento dos preços do metal e ouro.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.