Açoriano Oriental
PSD diz que Governo açoriano "gasta milhões mas põe as pessoas a viver com tostões"
O presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, disse que, nas últimas semanas, açorianos de todas as ilhas lhe manifestaram "preocupação" com um Governo Regional socialista que "gasta milhões mas põe as pessoas a viver com tostões".
article.title

Foto: PSD/Açores
Autor: Lusa/AO Online

 

Duarte Freitas falava aos jornalistas no início das jornadas do grupo parlamentar do PSD no parlamento dos Açores, em Ponta Delgada, durante as quais o partido vai preparar o debate do orçamento da região para 2015 e definir o seu sentido de voto.

As jornadas, afirmou, são “o seguimento” do “trabalho” das últimas semanas, em que percorreu as nove ilhas e os 19 concelhos dos Açores “auscultando os cidadãos e as forças vivas” do arquipélago em relação aos documentos orçamentais para 2015 que o Governo Regional submeteu ao parlamento.

Segundo Duarte Freitas, “em todas as ilhas” ouviu da parte dos açorianos “referências sobre a sua preocupação e aquilo que é, de alguma forma, um Governo [Regional] que gasta milhões mas põe as pessoas a viver com tostões”.

“Deparei com algum desânimo, muita preocupação, face ao desemprego, à pobreza, aos cada vez piores serviços sociais, desde logo, na saúde, aos problemas na educação. E constatei, como me dizia uma pessoa na Graciosa, que este é um Governo [Regional] dos bons anúncios mas dos maus resultados, infelizmente”, afirmou.

Duarte Freitas diz que o PSD quer ser “a voz dos açorianos” que ouviu nas últimas semanas e vai definir ao longo destas jornadas, que terminam na quinta-feira, o seu sentido de voto em relação ao Plano e Orçamento dos Açores para 2015, “tendo em conta” aquilo que lhe foram transmitindo ao longo deste périplo pelas ilhas.

O PSD, como maior partido da oposição nos Açores, tem “a responsabilidade e a obrigação de abrir outras portas de diálogo com as pessoas” numa região governada por um executivo “estafado” e que não quer “verdadeiramente” ouvir os cidadãos, acrescentou.

Em relação aos documentos orçamentais para 2015, reiterou que a “preocupação” e a “prioridade” do PSD “é o social”.

“Há um flagelo social neste momento nos Açores, com o desemprego, com a pobreza”, sublinhou, acrescentou que “há depois, em termos estruturais” que “recompor” e “reconstruir” a economia açoriana, “para que ela possa criar riqueza e gerar postos de trabalho sustentados”.

“Mas neste momento temos de nos preocupar com as vítimas da governação socialista, que são aqueles que passam imensas dificuldades”, vincou.

PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.