PSD/Açores questiona decisão do Governo de entregar centro de tratamento à ARRISCA

PSD/Açores questiona decisão do Governo de entregar centro de tratamento à ARRISCA

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Jul de 2018, 14:41

O PSD/Açores questionou a decisão do Governo Regional de entregar à associação ARRISCA a exploração do Solar da Glória, onde vai funcionar a futura unidade de Tratamento e Reabilitação Juvenil da região, projeto anunciado há oito anos.

Com os deputados do PSD/Açores concentrados nas portas encerradas do imóvel, situado na freguesia do Livramento, o parlamentar Carlos Ferreira manifestou-se contra a opção do Governo Regional de “atribuir diretamente o Solar da Glória à Arrisca - Associação Regional de Reabilitação e Integração Sociocultural dos Açores, sem ouvir nenhuma outra instituição”.

O parlamentar reivindica do executivo a “abertura de um processo claro, justo e transparente” para que todas as entidades com ‘know how’ na área possam manifestar interesse no projeto.

Carlos Ferreira afirmou que o seu grupo parlamentar tem contactado com “várias instituições e, ainda na semana passada, uma delas garantiu ao PSD que, apesar de não ter sido ouvida, tomou a iniciativa de manifestar ao Governo o seu interesse no Solar da Glória e disse que tem capacidade para, estando as instalações recuperadas e equipadas, começar a funcionar no espaço de uma semana”.

O deputado, que recordou que a abertura do Solar da Glória só está prevista para acontecer no último trimestre de 2018, declarou que o secretário regional da Saúde, em março de 2017, no parlamento dos Açores, afirmou que o executivo “decidiu entregar diretamente a gestão do Solar da Glória à Arrisca por considerar que é a única entidade com competências para o efeito”.

Carlos Ferreira condenou o “arrastar do processo que ao longo de uma década tem acarretado um enorme prejuízo para o tratamento das dependências e resgatar os que se encontram reféns do terrível problema”.

Recordando que a região apresenta os indicadores “mais negativos do país de drogas e alcoolismo”, o parlamentar acusou o executivo açoriano de “não ter uma política de prevenção e combate às dependências”, havendo uma “falta de estratégia” nessa área.

O grupo parlamentar do PSD/Açores vai, entretanto, apresentar no parlamento regional um requerimento a questionar o Governo quando vai entrar em funcionamento o centro de reabilitação, qual o modelo funcional adotado e se está disponível para atribuir a sua exploração através de um processo transparente.

O projeto do Centro de Tratamento e Reabilitação Juvenil, que vai ser construído no antigo Solar da Gloria, foi apresentado pelo secretário regional da Saúde, Miguel Correia, a 14 de setembro de 2010.

O centro conta com uma unidade de desintoxicação especialmente dirigida a jovens, com capacidade para 10 camas e uma unidade terapêutica de internamento prolongado com capacidade para 20 camas, para recuperar jovens e reinseri-los na sociedade e na família.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.