Açoriano Oriental
PS e Chega reivindicam soluções para pescado retido no Corvo e Flores

O PS/Açores exigiu hoje uma “solução rápida” do Governo Regional para a dificuldade de escoamento de pescado do Corvo, enquanto o Chega alertou para a situação nas Flores, onde cerca de uma tonelada está armazenada na lota.


Autor: Lusa

“Esta situação já vem a repetir-se, já foi denunciada na vizinha ilha das Flores, é do conhecimento do Governo Regional dos Açores do PSD/CDS/PPM, mas este nada faz para a resolver. Parece que este Governo Regional da coligação hibernou, esquecendo-se que se encontra em funções e que é sua função encontrar soluções para os problemas de todos os açorianos”, afirma o deputado socialista Lubélio Mendonça, citado numa nota de imprensa.

Lubélio Mendonça reuniu-se hoje com um grupo de pescadores junto à lota do Corvo, tendo alertado para a “complexidade da situação" da mais pequena ilha açoriana, que “não dispõe de voos, nem de capacidade de carga para exportar o pescado em quantidades suficientes”.

Na nota, o deputado socialista açoriano refere que "a dificuldade de escoamento do peixe fresco da ilha do Corvo para o continente” vem sendo gerada por alterações das aeronaves da SATA Air Açores que fazem as ligações ao grupo Ocidental, composto pelas ilhas das Flores e Corvo.

Por outro lado, este problema acontece “numa altura em que toda a frota açoriana está em atividade e com bom tempo, o que favorece as capturas”, designadamente de espécies de grande valor comercial, como “o goraz, o congro e o cherne, muito valorizadas no continente”, assinala.

“É por isso que exigimos uma solução rápida. Porque os nossos pescadores, que já são dos mais mal pagos nos Açores, estão a perder dinheiro devido à perda de frescura do pescado, por causa das falhas no escoamento. Isto está a acontecer todos os dias”, salienta o deputado eleito pela ilha do Corvo, defendendo a realização de um voo extraordinário, para que a SATA Air Açores possa "escoar todo o pescado que está retido nas ilhas do Corvo e Flores".

Também o Chega/Açores denunciou hoje que “cerca de uma tonelada de pescado está armazenada na lota de Santa Cruz das Flores, por falta de capacidade de carga da SATA”.

Numa nota enviada às redações, o partido adianta que o grupo parlamentar já enviou aos serviços da Assembleia Legislativa dos Açores um requerimento a questionar o Governo Regional acerca das dificuldades de escoamento de pescado nas Flores e sobre a entrada em funcionamento do "prometido avião cargueiro" para o arquipélago.

Citado na nota, o deputado do Chega/Açores José Paulo Sousa lamenta a situação e considera que é “um mau presságio para a época alta que se aproxima nos próximos meses", com "voos lotados, diminuindo drasticamente a capacidade de carga de mercadorias, como o pescado”.

Tal como o PS, o Chega sublinha que a situação "não é nova" e tem causado diversos constrangimentos aos pescadores da ilha das Flores, causando "elevadas perdas de rendimentos" a armadores e pescadores.

José Paulo Sousa, deputado eleito pela ilha das Flores, classifica como “angustiante” a situação dos pescadores, “por falta de capacidade nos voos da SATA”.

O parlamentar lembra ainda que, em 2022, o Governo Regional anunciou um avião cargueiro para ajudar a escoar os produtos frescos, onde se inclui o pescado, o que "nunca se concretizou".

“É um momento desafiador e a falta do avião cargueiro prometido para os Açores é mais sentida do que nunca”, sustenta o deputado do Chega.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados