José Bolieiro alerta para limites impostos pela crise

José Bolieiro alerta para limites impostos pela crise

 

Lusa/AO online   Regional   6 de Ago de 2012, 15:11

O presidente da Câmara de Ponta Delgada afirmou esta segunda-feira que a autarquia tem que adaptar a sua atuação em todas as áreas, na sequência dos limites "cada vez mais impostos" pela situação económica e financeira do país.

"O município tem, cada vez mais, limites impostos pelas condições económicas e financeiras do país", frisou o social-democrata José Manuel Bolieiro, salientando a necessidade de "encontrar as melhores maneiras de fazer mais e melhor com uma utilização mais adequada dos recursos disponíveis".

José Manuel Bolieiro, que assumiu a presidência deste município dos Açores a 1 de agosto na sequência da renúncia de Berta Cabral, destacou a importância de uma "maior e mais eficaz coordenação entre os vários serviços da autarquia, principalmente em tempo de crise".

"Devemos procurar gerir a despesa pública em função das principais e reais necessidades e não em função de hábitos ou de pseudocertezas pré-estabelecidas", afirmou, considerando que "há muito a fazer para rentabilizar" e "melhor aproveitar os dinheiros públicos alocados a todos os setores".

O autarca, que falava na cerimónia comemorativa do 2.º aniversário da Polícia Municipal de Ponta Delgada, assegurou que a proteção das pessoas e do património público municipal é uma "prioridade", destacando a "excelência" desta força policial, que tem "o desafio de garantir a constância da qualidade do desempenho".

Por seu lado, Alberto Peixoto, comandante da Polícia Municipal, destacou o facto de esta força policial ser "um modelo e exemplo a nível nacional", frisando a importância de "manter os parâmetros de excelência".

"Não podem ser as restrições orçamentais, o corte no valor das horas extra ou a redução do tempo extra de compensação que nos farão perder a nossa referência principal, ou seja, servir o público", frisou.

Na sua intervenção, Alberto Peixoto revelou que a Polícia Municipal de Ponta Delgada registou em dois anos de atividade 165.694 intervenções, que assumiram "em cerca de 98 por cento dos casos uma forma preventiva e pedagógica".

"Em matéria de trânsito, a Polícia Municipal presenciou 18.041 infrações ao Código da Estrada, mas só em 2.264 casos houve necessidade de atuação devido a reincidência", salientou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.