Venezuela

Presidente da Assembleia Constituinte pede apoio de 'chavistas'

Presidente da Assembleia Constituinte pede apoio de 'chavistas'

 

Lusa/AO Online   Internacional   30 de Abr de 2019, 12:16

O Presidente da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) da Venezuela, Diosdado Cabello, pediu aos partidários ‘chavistas’ que se concentrem nos arredores do palácio presidencial para "defender" a revolução perante o "plano golpista" contra o Governo de Nicolás Maduro.

"Convidamos todo o povo de Caracas, venham para o palácio de Miraflores, aqui estamos, se Deus quiser. Venham a Miraflores para nos encontrar no palácio a defender a revolução, defender o nosso povo, imediatamente", declarou num ao canal estatal VTV.

O pedido de Cabello vem depois de o presidente do Parlamento venezuelano, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino por mais de cinquenta países, anunciar que "a família militar de uma vez (por todas) deu o passo" para se juntar a ele e obter “o fim definitivo da usurpação” do Governo de Maduro.

O Governo do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou hoje que está a enfrentar um golpe de Estado, de "um reduzido grupo de militares traidores" que estão a ser neutralizados.

"Informamos o povo da Venezuela que neste momento estamos a enfrentar e desativar um reduzido grupo de militares traidores que se posicionaram no Distribuidor Altamira (leste de Caracas), para promover um golpe de Estado contra a Constituição e a paz da República", anunciou o ministro venezuelano de Comunicação e Informação na sua conta do Twitter.

Segundo Jorge Rodríguez "a esta tentativa" de golpe "uniu-se a ultradireita golpista e assassina, que anunciou a sua agenda violenta desde há meses".

"Pedimos ao povo para se manter em alerta máximo para, junto com as gloriosas Forças Armadas Bolivariana, derrotar esta tentativa de golpe e preservar a paz. Venceremos", frisou na sua mensagem o ministro do regime de Nicolas Maduro.

A mensagem surge momentos depois de o Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, ter anunciado que os militares vão acompanhá-lo para conseguir "o fim definitivo da usurpação” do Governo do Presidente Nicolás Maduro.

"O 01 de maio, o fim definitivo de usurpação, começou hoje", disse Guaidó num vídeo publicado na sua conta na rede social Twitter, no qual se pode ver o Presidente interino com um grupo de soldados na base de La Carlota, a leste de Caracas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.