Portugal tem menos mães adolescentes do que média de países desenvolvidos

Portugal tem menos mães adolescentes do que média de países desenvolvidos

 

Lusa/AO online   Nacional   14 de Nov de 2012, 10:12

Portugal tem menos mães adolescentes e menos mortalidade entre as crianças até aos cinco anos do que a média dos países desenvolvidos, mas fica pior classificado nas tabelas europeias, revela um estudo das Nações Unidas.

Entre 2010 e 2015, deverão morrer em Portugal cinco crianças até aos cinco anos por cada mil nascimentos, de acordo com o relatório das Nações Unidas “By choice, not by chance” (“Por opção, não por sorte”), hoje divulgado, que analisa a situação da população mundial.

O documento apresenta uma listagem da taxa de mortalidade das crianças em mais de uma centena de países. A média dos países mais desenvolvidos é de 7,7 mortes por cada mil nascimentos e Portugal situa-se abaixo desse valor, ao lado da Dinamarca, Holanda, Áustria, Bélgica e Grécia.

Entre os países europeus, a Roménia e a Ucrânia são os que apresentam uma taxa de mortalidade mais elevada, com 15 mortes até aos cinco anos em cada mil nascimentos.

Relativamente à mortalidade das mães, Portugal também apresenta valores abaixo da média dos países desenvolvidos, mas surge entre os últimos da lista dos países europeus.

De acordo com dados relativos a 2010, em Portugal morreram oito mulheres por cada 100 mil partos, uma percentagem que coloca o país ao lado da Bélgica, França, Suíça, Lituânia, Malta, Bósnia e Montenegro.

Com melhores resultados na taxa de mortalidade maternal estão a Estónia (duas mortes por 100 mil nascimentos), a Grécia (três), a Áustria, a Suécia, a Itália e a Bielorrússia (quatro), a Islândia, a Finlândia e a República Checa (cinco), a Espanha, a Irlanda, a Holanda e a Eslováquia (seis) e, finalmente, a Áustria, a Alemanha e a Noruega, onde morreram sete mulheres por cada 100 mil nascimentos.

Nove países europeus apresentam valores acima dos registados em Portugal, com destaque para a Ucrânia, onde não sobrevivem 32 mulheres em cada 100 mil partos, a Roménia (com 27 mortes) e a Turquia (com 20).

A nível mundial, em 2010, morriam em média 210 mulheres por cada cem mil nascimentos, segundo o relatório da ONU.

A gravidez adolescente também é analisada no documento hoje divulgado, que indica que, em Portugal, entre 1991 e 2010, em cada mil grávidas, 16 tinham entre os 15 e os 19 anos de idade.

A taxa de gravidez adolescente em Portugal é igual à registada da Irlanda e na Polónia.

Com taxas mais baixas estão 19 países europeus: Estónia (21 jovens em cada mil), Lituânia (17), Malta (20), Montenegro (24), Roménia (41), Eslováquia (21), Turquia (38) e Ucrânia (30).

A média da gravidez adolescente nos países mais desenvolvidos foi de 23 mães por cada mil.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.