Polónia põe fim à missão no Iraque


 

Lusa/AOonline   Internacional   4 de Out de 2008, 15:56

A Polónia pôs hoje fim à sua missão de apoio às tropas norte-americanas no Iraque, anunciando a retirada até fim de Outubro dos últimos 900 soldados, durante uma cerimónia oficial no centro do país.
A cerimónia decorreu numa base militar em Diwaniyah, 180 quilómetros a sul de Bagdade, onde está mobilizado o contingente polaco e contou com as presenças do ministro polaco da Defesa, Bogdan Klich, e do comandante das forças norte-americanas no Iraque, o general Raymond Odierno.

    Durante a cerimónia, a bandeira da coligação foi arriada e entregue ao ministro Klich, simbolizando desta forma o fim da missão da Polónia.

    O exército polaco está no Iraque desde 2003 quando começou a intervenção armada liderada pelos Estados Unidos contra o regime de Saddam Hussein.

    O contingente da Polónia tinha inicialmente 2.600 soldados, tendo sido reduzido entretanto a 900.

    Desde o início do conflito 21 soldados polacos perderam a vida e outros 70 ficaram feridos, segundo dados divulgados hoje pelas autoridades militares da Polónia.

    "Sentimo-nos responsáveis pelo futuro do Iraque. A conclusão da nossa missão não significa no entanto o fim do nosso compromisso", declarou Bogdan Klich, garantindo que o seu país continuará a "cooperar com o Iraque nos domínios económico e financeiro".

    Por seu turno, o general Odierno sublinhou que este é um "bom momento" para as forças da polónia deixarem o Iraque.

    "Este é um bom momento para as forças polacas partirem já que as condições de segurança melhoraram. Serão substituídos por tropas americanas, mas em menor número", explicou aos jornalistas.

    No total dos cinco anos, mais 10.500 soldados da Polónia participaram na operação americana no Iraque, segundo dados do comando americano.

    A coligação dirigida pelos Estados Unidos e em que participam uma quinzena de países conta actualmente 150 mil homens, sendo que 144 mil são americanos

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.