Açoriano Oriental
PAN/Açores opõe-se à realização da Batalha das Limas sem alternativa ao plástico

O PAN/Açores afirmou hoje opor-se à realização da Batalha das Limas, em Ponta Delgada, na terça-feira de Carnaval, enquanto não existirem alternativas ao uso do plástico no evento que se realiza anualmente em São Miguel.

article.title

Foto: AO/Rui Jorge Cabral
Autor: Lusa/AO Online

"A apresentação feita pelo vereador Pedro Furtado, responsável pelo pelouro do Ambiente e Gestão de Resíduos Urbanos, deu novas diretrizes para este ano de 2020, nomeadamente a instalação de vedações num perímetro de 250 metros para proteger a zona litoral dos plásticos usados na manifestação carnavalesca, a vigilância policial mais apertada e a limpeza da zona após o evento. Todavia, estas medidas não são suficientes para o partido e não reduzem a pegada ambiental como quer fazer passar a Câmara de Ponta Delgada", lê-se num comunicado.

Recentemente, o vereador Pedro Furtado adiantou à agência Lusa que tendo em conta que "não foi possível encontrar no mercado nacional e internacional nenhuma solução" de plástico biodegradável com "as mesmas propriedades e formato dos sacos utilizados na batalha", as opções para este ano passam por introduzir "regras que visam a redução do impacto ambiental" da tradição.

No comunicado, o porta-voz do PAN/Açores, Pedro Neves, refere que “a Câmara Municipal de Ponta Delgada não teve, passados todos estes Carnavais, imaginação suficiente nem sensibilidade e coragem política para apresentar uma solução sustentável contra o desperdício e que salvaguarde os nossos mares, para onde vai grande parte do plástico usado, nem o nosso património ambiental e a própria zona marginal da cidade que fica sobrecarregada de lixo".

O partido recorda que "esta festa foi alvo de variadas mutações ao longo do tempo, alterando a sua génese identitária e o PAN/Açores recusa-se a usar a palavra e denominação de tradição para a justificar nos moldes em que é realizada".

Para o partido, "as vedações não reduzem a pegada ambiental", o "plástico acumula-se pelas ruas" e "o arremesso de sacos desta matéria não deixa de ter latente uma componente de confronto".

"Existem, ademais, mais batalhas particulares que não vão usufruir da mesma vigilância que a marginal", que será levada a cabo "pela Polícia Municipal", aponta o partido no mesmo comunicado, no qual relembra também que o arquipélago açoriano recebeu o certificado de destino turístico sustentável, entregue pelo Global Sustainable Tourism Council (GSTC) em 2019, que tem como um dos parceiros o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

O PAN/Açores lembra que o saco de plástico é taxado em supermercados, daí que o seu uso em eventos desta natureza, "junto ao mar, não deixa de ser um crime ambiental, apesar das medidas supostamente protecionistas criadas pela autarquia, curiosamente, em ano de eleições legislativas regionais".

"Por mais solidariedade que possamos ter pela folia em geral, não podemos ser cúmplices e fechar os olhos a este atentado que não harmoniza com a sustentabilidade ambiental que a região se esforça em promover“, conclui Pedro Neves.

A Batalha das Limas, uma tradição única no país, atrai anualmente à Marginal da cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, centenas de pessoas, uns em camiões outros a pé, que tentam molhar quem passa e lutam entre si no dia do Entrudo.

Este combate de água começou por ser de flores, que posteriormente foram substituídas por limas, ou seja, pequenos recipientes em parafina produzidos artesanalmente para encher com água.

Contudo, as limas têm vindo a dar lugar a sacos de plástico, cheios de água, que são utilizados como armas de combate na batalha.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.