"Não vou regressar à Assembleia pela porta do cavalo"


 

Lusa/AOonline   Nacional   13 de Nov de 2008, 10:59

A Assembleia Legislativa da Madeira revogou por unanimidade os requerimentos aprovados pelo PSD-M que suspenderam o deputado do PND-M na passada semana, mas José Manuel Coelhodiz que só regressa ao parlamentoquando receber confirmação por escrito.
  “Esta porta é muito pequena para eu entrar. O que o PSD-M pretende é que o deputado do PND-M que foi excluído desta casa entre pela porta do cavalo e eu não vou permitir que isso aconteça”, disse o deputado do PND à entrada da ALM.

    “Considerando a necessidade de serem dissipadas, definitivamente, quaisquer dúvidas relativamente à normalização do funcionamento deste Órgão de Governo Próprio da Região, a Assembleia delibera, nesta reunião plenária ordinária, revogar os requerimentos apresentados e votados nas sessões plenárias dos pretéritos dias 05 e 06 do corrente mês”, refere o requerimento votado por unanimidade e assinado pelo presidente da ALM, Miguel Mendonça.

    Na ocasião em que o plenário votava o requerimento do presidente da ALM, o deputado do PND-M, José Manuel Coelho, à porta do hemiciclo, reiterava aos jornalistas que não entrava no espaço do plenário sem uma deliberação clara e inequívoca revogando a que fora aprovada contra si e que foi considerada anti-constitucional.

    “Recuso-me a entrar nesta casa enquanto ela não tiver a dignidade de aprovar uma deliberação revogando a que me suspendeu o mandato e a outra em que me considera um desequilibrado que pensa que é comunista. Houve um atentado à minha honra e dignidade nesta assembleia”, referiu.

    Confrontado com a notícia de que o plenário havia revogado os requerimentos, José Manuel Coelho contrapôs: “Quando eles me comunicarem por escrito que está revogado, eu entro”.

    Entretanto, e já em plena sessão plenária, o PS-M apresentou um requerimento solicitando que fosse feito “um intervalo pelo tempo necessário” para informar o deputado da deliberação aprovada, proposta que apenas mereceu os votos favoráveis dos socialistas e do CDS/PP-M, e o chumbo do PSD-M, PCP-M, MPT-M e BE-M.

    Os trabalhos prosseguiram sem a presença do deputado do PND-M e do presidente do Grupo Parlamentar do PSD-M, Jaime Ramos.

    À entrada na ALM, José Manuel Coelho, acompanhado pelo dirigente do PND-M, Baltasar Aguiar, foi provocado por alguns populares, mas acolheu também apoios de outros que lhe sugeriram calma, facto que fez dirigir em sua direcção alguns elementos da PSP que o acabaram por escoltá-lo até ao parlamento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.