"Não há cidadãos portugueses" entre os afetados pelo furacão Florence, diz governo


 

Lusa/Ao online   Internacional   15 de Set de 2018, 02:08

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas afirmou esta sexta feira que nenhum cidadão português sofreu prejuízos na passagem do furacão Florence, que está a atingir os Estados Unidos, e que o Governo está a acompanhar o alerta de "super tufão" em Macau.

“O nosso gabinete consular está a acompanhar, mas para já, de acordo com as informações que temos, não há cidadãos portugueses que tenham sido objeto de quaisquer prejuízos causados por este tufão”, disse José Luís Carneiro, à margem iniciativa “Diálogos com as Comunidades: Leis eleitorais + Participação”, na Embaixada de Portugal em Bruxelas.

O Secretário de Estado explicou que nos Estados Unidos, “nomeadamente na Carolina do Norte, Carolina do Sul, Virgínia, e Geórgia”, há um conjunto de cidadãos portugueses que estão “organizados no sentido de se auxiliarem e de mutuamente se protegerem, nomeadamente na permuta de informações”.

“A própria embaixada tem um conjunto de conselhos que são conferidos a todos os portugueses que vivem naquela jurisdição”, pontuou.

O furacão Florence, que atingiu hoje de manhã a costa atlântica dos Estados Unidos, representará ainda uma “grande ameaça” nas próximas entre 24 e 36 horas, advertiu a Agência Federal das Situações de Emergência norte-americana (FEMA).

Acompanhado de chuvas diluvianas e ventos violentos, o Florence tocou terra no Estado da Carolina do Norte às 07:15 locais (12:15 de Lisboa) e já causou enormes inundações, encurralando os habitantes em casa.

O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas abordou ainda a previsão de que um "super tufão" atinja Macau no domingo.

“Neste momento, o gabinete de emergência consular do Ministério dos Negócios Estrangeiros acompanha o tufão que tem vindo a aproximar-se das jurisdições consulares que temos um Macau, em Cantão, em Xangai, e na China. Foi constituída uma célula de emergência na estrutura consular de Macau que está articulada com as autoridades de proteção civil de Macau e também com as autoridades de emergência consular do nosso MNE”, indicou.

Os Serviços Meteorológicos e Geológicos desativaram na quinta-feira todos os alertas de tempestade, num momento em que o ciclone tropical Barijat se afasta do território, mas as autoridades preveem que um "super tufão" atinja Macau no domingo.

Todos os sinais de tempestade tropical foram cancelados às 10:00 (03:00 em Lisboa), quando o ciclone Barijat se encontrava a 330 quilómetros de Macau.

Contudo, as autoridades da Proteção Civil de Macau, que se reuniram na quarta-feira de emergência, admitiram a possibilidade de içar o sinal 10 de tempestade tropical, o máximo, no domingo, com a chegada do "super tufão" Mangkhut ao mar do Sul da China.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.