Microempresas com 42% do emprego em Portugal no setor não financeiro


 

Lusa/AO Online   Economia   25 de Nov de 2013, 09:37

As microempresas representavam, em 2011, cerca de 42% do emprego do setor não financeiro em Portugal, o segundo valor mais elevado da União Europeia, onde em média são as PME que mais postos de trabalho proporcionam, segundo o Eurostat.

 

De acordo com o relatório hoje divulgado em Bruxelas pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), em 2011, as Pequenas e Médias Empresas (PME) representavam apenas 7% dos 22 milhões de empresas de economia de mercado não financeira na União, mas contavam para 37,6% do emprego, contra 32,8% das grandes empresas e 29,5% das microempresas.

O cenário em Portugal destoava da média comunitária, já que as microempresas empregavam 41,8% das pessoas a trabalhar no setor não-financeiro (valor apenas superado por Itália, com 46%), à frente das PME (37,4%) e das grandes empresas (20,8%).

Das 832 mil empresas de economia de mercado não financeira registadas em Portugal em 2011, 95% era microempresas (um pouco acima da média comunitária, de 92,5%), 4,9% PME, e somente 0,1% eram grandes empresas, sendo que as PME eram as que representavam a maior fatia do volume total de negócios (47,2%, contra 29,1% das grandes empresas e 23,7% das microempresas), embora a nível da UE fossem as grandes empresas a representar a maior parte do volume de negócios (43,5%).

Segundo os critérios do Eurostat, as microempresas são aquelas que têm menos de 10 pessoas empregadas, as PME entre 10 e 249 funcionários, e as grandes empresas 250 ou mais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.