Madeira lança alerta para política marítima


 

Lusa/AOonline   Nacional   20 de Out de 2007, 15:12

O secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais da Madeira quer ver garantido, segunda-feira em Lisboa, que a nova Política Marítima para União Europeia "não tenha qualquer circunstância negativa para a região" autónoma.

    Manuel António Correia falava à agência Lusa a propósito da sua participação na Conferência Ministerial sobre Política Marítima para a UE que decorre segunda-feira no pavilhão Atlântico, em Lisboa.

    O governante madeirense, que fará uma intervenção na sessão de trabalhos da tarde, disse que "o processo de reformulação das políticas europeias tem bons princípios, com os quais a região concorda genericamente, mas é necessário que sejam bem aplicados".

    "É necessário que tenham em conta as particularidades das regiões nesta área marítima e sejam encontrados apoios financeiros adequados que permitam o aproveitamento das potencialidades que o mar tem", realçou.

    Por outro lado, frisou, "é necessário assegurar que não tenham nenhuma circunstância negativa para a região, até porque, no caso dos transportes, a situação é extremamente diferenciada", conclui.

    Aproveitando esta deslocação a Lisboa, o secretário do executivo madeirense irá reunir-se com o ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, Francisco Nunes Correia.

    Sobre as matérias que pretende abordar no encontro, Manuel António Correia adiantou à Lusa que se prendem com a "necessidade de garantir condições de boa aplicação dos fundos do próximo quadro comunitário, designadamente para a agricultura e pescas".

    Acrescentou que pretende ainda debater "questões ligadas à gestão dos resíduos sólidos na Região, pois embora este arquipélago registe uma boa taxa de recolha selectiva, existem problemas relacionados com os elevados custos do transporte marítimo do material recolhido para o continente".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.