Madalena assinala os 300 anos da crise vulcânica de 1718

Madalena assinala os 300 anos da crise vulcânica de 1718

 

Miguel Bettencourt Mota   Regional   25 de Jan de 2018, 16:04

A crise vulcânica que assolou o Pico, em 1718, vai ser recordada a 2 e 3 de fevereiro, na freguesia de Bandeiras, com a tradicional peregrinação à Ermida do Cachorro, que honra o voto feito, há 300 anos, a Nossa Senhora dos Milagres.

Segundo uma nota informativa da Câmara da Madalena, a par da peregrinação irá realizar-se, na sexta-feira, uma eucaristia, presidida pelo Bispo de Angra, D. João Lavrador.

A 3 de fevereiro, sábado, a efeméride será celebrada com um serão cultural, com uma palestra proferida por Albino Terra Garcia, sobre esta catástrofe natural e a forma como este moldou as gentes da nossa ilha. 


Depois haverá lugar ao descerramento de uma lápide evocativa e seguir-se-ão, ao longo do ano, diversos eventos comemorativos em toda a ilha que recordarão esse mesmo acontecimento que soma três séculos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.